Nas notícias lá fora: 5G, hackers e cripto

  • ECO
  • 19 Janeiro 2022

AT&T e Verizon vão adiar 5G perto de aeroportos nos EUA, enquanto o regulador europeu é a favor que se proíba cripto intensiva em energia. Europol desmantela rede VPN utilizada por hackers.

O regulador europeu dos mercados financeiros defende a proibição da mineração cripto intensiva em energia. Empresas de telecomunicações estudam aumentar os preços face à inflação. Os operadores de telefonia móvel AT&T e Verizon vão adiar 5G perto de aeroportos nos Estados Unidos. A Europol desmantelou uma rede privada virtual utilizada por hackers em ataques informáticos. Estas e outras notícias estão a marcar a atualidade internacional.

Financial Times

Regulador europeu é a favor que se proíba cripto intensiva em energia

O regulador europeu dos mercados financeiros, a ESMA (European Securities and Markets Authority), revela esta quarta-feira ao Financial Times que é a favor da proibição da mineração de criptomoedas (ou criptoativos), como é o caso da bitcoin e da ether, que consumam muita energia, nomeadamente energia renovável que podia ir para outras necessidades da sociedade. O sueco Erik Thedéen, vice-presidente da ESMA, diz que os reguladores estão a ponderar banir os atuais métodos de mineração para que estes sejam substituídos por alternativas menos intensivas em energia. A China baniu este tipo de mineração intensiva em energia em maio do ano passado.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago/conteúdo em inglês)

Cinco Días

Empresas de telecomunicações espanholas ponderam aumentar preços

Os principais operadores europeus estão a estudar aumentar os preços face ao impacto da inflação. No Reino Unido, a Virgin O2, uma subsidiária da Telefónica e Liberty, a Vodafone, a BT e a Hutchison tencionam aplicar aumentos de preços até 10%, o maior aumento em muitos anos. Em Espanha, os operadores podem aumentar os preços, embora a regulamentação exija que estes sejam justificados por fatores como a inflação ou aumentos de custos. Na Alemanha, os operadores não estão autorizados a indexar as tarifas à inflação, e só podem aumentar os preços se apresentarem argumentos credíveis para o aumento dos custos.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre/conteúdo em espanhol)

CNBC

AT&T e Verizon vão adiar 5G perto de aeroportos nos Estados Unidos

Os operadores de telefonia móvel AT&T e Verizon vão adiar temporariamente o desenvolvimento do 5G perto de “alguns aeroportos” nos EUA, para evitar um potencial “caos” receado pelos agentes do transporte aéreo. Uma decisão saudada pelo Presidente Joe Biden. A AT&T e a Verizon deveriam ativar esta nova tecnologia de internet móvel ultrarrápida no conjunto do país esta quarta-feira. Mas a autoridade federal de regulação da aviação (FAA, na sigla em Inglês), está preocupada com a possível interferência entre as frequências utilizadas pela 5G e instrumentos de bordo essencial à aterragem dos aviões em algumas condições, e exigiu ajustamentos.

Leia a notícia completa na CNBC (acesso livre, conteúdo em inglês)

CNN

Europol desmantela rede VPN utilizada por hackers em ataques informáticos

Uma rede privada virtual (VPN) utilizada por criminosos para realizarem ataques de ransomware, que colocaram mais de cem empresas em risco de ciberataques, foi desmantelada, anunciou a Europol. A agência da polícia europeia revelou que investigadores na Europa e na América do Norte apreenderam ou interromperam, na segunda-feira, pelo menos 15 servidores que hospedavam utilizadores e também o site VPNLab.net, que forneceu a grupos criminosos comunicações protegidas e acesso à Internet. “O fornecedor VPN (…) foi usado para apoiar atos criminosos graves, como a implementação de ransomware (ataque informático com pedido de resgate) e outras atividades cibernéticas criminosas”, realçou a Europol.

Leia a notícia completa na CNN (acesso livre, conteúdo em inglês)

Reuters

China quer facilitar utilização de fundos de caução por parte dos promotores imobiliários

A China está a elaborar regras a nível nacional para facilitar o acesso dos promotores imobiliários aos fundos de pré-venda mantidos em contas caucionadas, numa tentativa de aliviar uma severa crise de liquidez no setor. As novas regras ajudariam os promotores a cumprir obrigações de dívida, a pagar aos fornecedores, e a financiar operações, deixando-os utilizar os fundos em caução que são atualmente controlados pelos governos municipais sem supervisão central. “Uma abrupta restrição das contas de caução por parte das autoridades locais após o crash de Evergrande sufocou a liquidez para alguns nomes de boa qualidade. Uma correção por parte do governo central é muito necessária”, disse Nan Li, professor associado de finanças na Universidade Jiao Tong de Xangai.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso pago/conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: 5G, hackers e cripto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião