Nas notícias lá fora: Londres, Tesla e Intel

  • ECO
  • 27 Janeiro 2022

Londres continua a ser o principal centro financeiro global. No plano empresarial, a Tesla fechou 2021 com lucros recorde e a Justiça europeia anulou uma multa de mais de mil milhões de euros à Intel.

Londres continua a ser o principal centro financeiro global, mas é ultrapassado por Nova Iorque e Singapura no acesso a talento. Bruxelas avançou com uma queixa contra a China na Organização Mundial do Comércio, por práticas comerciais discriminatórias. No plano empresarial, a Tesla fechou 2021 com lucros recorde e o Tribunal Geral da UE anulou uma multa de mais de mil milhões de euros à Intel.

Reuters

Londres continua a ser o centro financeiro global, mas é ultrapassado em áreas-chave

Londres continua a ser o principal centro financeiro global, mas é ultrapassado por Nova Iorque e Singapura no acesso a talento, de acordo com o estudo da City of London Corporation. Esta análise, que conta este ano também com Paris, analisou os diversos centros financeiros em cinco áreas distintas, que vão desde as competências digitais ao talento. Enquanto Londres permanece no primeiro lugar, Nova Iorque está em segundo lugar, encurtando a distância para a capital do Reino Unido. Segue-se Singaputa, Frankfurt, Paris, Hong-Kong e Tóquio.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Financial Times

UE apresenta queixa contra a China na OMC

A Comissão Europeia apresentou uma queixa na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra a China por práticas comerciais que considera discriminatórias para com a Lituânia e que afetam toda a UE. “Após tentativas de resolver o litígio bilateralmente falhadas, a UE decidiu iniciar um processo de resolução de litígios contra a China”, disse a Comissão Europeia. Bruxelas diz ter “acumulado nas últimas semanas provas de vários tipos de restrições chinesas”, citando “recusa de desalfandegamento de mercadorias lituanas, rejeição de pedidos de importação da Lituânia e pressão sobre as empresas europeias que operam noutros Estados-membros da UE para que retirem componentes lituanos das cadeias de abastecimento quando exportam para a China”. “Estas ações, que parecem ser discriminatórias e ilegais segundo as regras da OMC, prejudicam os exportadores tanto na Lituânia como noutros países da UE, uma vez que também visam produtos com conteúdo lituano exportados por outros países da UE”, sublinhou a Comissão Europeia.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso pago, conteúdo em inglês)

Forbes

Tesla aumentou entregas de veículos elétricos em 2021 e apresenta lucros recorde

A Tesla fechou o quarto trimestre e o ano de 2021 com lucros recorde, apoiada no aumento das entregas de veículos elétricos, apesar da escassez mundial de semicondutores que desacelerou toda a industria. Em 2021, a empresa de Austin, no Estado norte-americano do Texas, faturou 5,5 mil milhões de dólares, um aumento face ao ano de 2020, onde também registou um máximo de lucro líquido de 3,47 mil milhões de dólares. Este foi o terceiro ano consecutivo com lucros para a fabricante de veículos elétricos e painéis solares. A Tesla faturou no quarto trimestre 2,32 mil milhões de dólares. A Tesla entregou um recorde de 936.000 veículos no ano passado, quase o dobro de 2020. Só no quarto trimestre as vendas atingiram as 308.600 unidades, também um novo máximo na empresa.

Leia a notícia completa na Forbes (acesso livre, conteúdo em inglês)

Bloomberg

Justiça europeia anula multa de mil milhões de euros à Intel

O Tribunal Geral da União Europeia (UE) anulou a multa de 1,06 mil milhões de euros, proferida em 2009, contra a fabricante norte-americana de microprocessadores Intel, por abuso de posição dominante. A “análise realizada pela Comissão [Europeia] estava incompleta e, em todo o caso, não permitia estabelecer o padrão legal necessário de que os descontos em questão eram capazes ou suscetíveis de ter efeitos anticoncorrenciais efetivos”, considerou o tribunal. A multa, um valor recorde na altura, anunciada a 13 de maio de 2009, quando a fabricante de microprocessadores foi acusada de ter abusado da sua posição dominante (70% da quota de mercado), entre 2002 e 2007, ao oferecer descontos aos fabricantes de computadores para que estes adquirissem apenas a si os ‘chips’ para a excluir o seu único concorrente, AMD, do mercado.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Le Temps

Marca de chocolate suíço Cailler vai construir parque temático

A marca de chocolate suíço Cailler, propriedade da Nestlé, vai construir um parque temático dedicado aos derivados do cacau nas proximidades da sua fábrica, em Broc, na Suíça, que tenciona inaugurar em 2025. O projeto vai ter um financiamento inicial de 76 milhões de euros. O parque exibirá a história do chocolate suíço e da Cailler, uma das marcas mais antigas, que foi fundada em 1819 e adquirida pela Nestlé mais de um século depois, em 1929. A nova atração deve criar 200 empregos e tem o objetivo de receber 400 mil visitantes por ano. O chocolate da zona é produzido com o mesmo leite que serve de matéria-prima ao queijo local Gruyère, um dos mais conhecidos do país.

Leia a notícia completa no Le Temps (acesso livre, conteúdo em francês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Londres, Tesla e Intel

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião