BCP recua mais de 2% e pressiona bolsa de Lisboa

A bolsa lisboeta começou a sessão desta quinta-feira em "terreno negativo", com o BCP a protagonizar as maiores perdas. Só três das cotadas do PSI-20 estão no "verde".

A bolsa de Lisboa arrancou a penúltima sessão da semana pintada de vermelho, um dia depois de a Reserva Federal dos Estados Unidos ter sinalizado que vai subir os juros em março para combater a aceleração da inflação. O BCP é a cotada que mais perde, recuando mais de 2%. Apenas três cotadas do PSI-20 estão a negociar acima da linha de água.

O índice de referência na praça nacional, o PSI-20, está a desvalorizar 0,58% para 5,491.230 pontos, mas já chegou a perder mais de 1% esta manhã. Nas demais praças do Velho Continente, a tendência também é negativa, com o pan-europeu STOXX 600 a cair 1,19% para 461,74 pontos, o francês CAC-40 a recuar 1,5% para 6.877,07 pontos e o espanhol IBEX a descer 1,08% para 8.527,00 pontos.

Os investidores estão a reagir ao anúncio feito esta quarta-feira por Jerome Powell de que a Reserva Federal dos Estados Unidos vai mesmo avançar para um aumento das taxas de juro em março. O objetivo é conter a subida da inflação.

Por cá, é o BCP que está a protagonizar as maiores perdas. Os títulos do banco recuam 2,21% para 0,1504 euros, queda que reflete a reação dos mercados à decisão da Fed, mas também uma correção face ao ganhos expressivos registados esta quarta-feira. Além disso, é importante notar que o Bank Millennium, o braço polaco do BCP, anunciou que constituiu provisões de cerca de 160 milhões de euros para acautelar riscos relacionados com empréstimos em moeda estrangeira, antecipando resultados negativos no último trimestre de 2021, o que ajuda a explicar as perdas desta quinta-feira.

Também em destaque estão as papeleiras: os títulos da Navigator recuam 1,4% para 3,23 euros, os da Semapa descem 0,34% para euros e os da Altri perdem 1,89%.

Na energia, as ações da EDP caem 0,74% para 4,447 euros, as da EDP Renováveis perdem 0,81% para 18,46 euros, as da Greenvolt descem 0,68% para 5,84 euros e as da Galp Energia desvalorizam 0,10% para 9,9160 euros, num dia em que, em Londres, o Brent está a recuar cerca de 0,5%.

Já no retalho, enquanto os títulos da Sonae recuam 0,88% para 1,014 euros os da Jerónimo Martins avançam 0,34% para 20,87 euros, sendo a dona do Pingo Doce uma das poucas cotadas que estão a negociar acima da linha de água esta manhã.

(Notícia atualizada às 8h35)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP recua mais de 2% e pressiona bolsa de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião