Projeto de crowdlending vai financiar novas comunidades de energia em Portugal

  • Capital Verde
  • 31 Janeiro 2022

A Cleanwatts quer angariar, através do crowdlending da GoParity cerca de 67 mil euros para financiar novas comunidades de energia em Portugal. Os investimentos podem começar nos cinco euros.

A Cleanwatts, tecnológica portuguesa que se dedica a soluções digitais para o setor da energia, lançou o primeiro projeto de crowdlending (financiamento colaborativo), através da GoParity, com o intuito de angariar cerca de 67 mil euros para instalar centrais fotovoltaicas em Chaves.

O objetivo é criar uma comunidade de energia em Castelões, freguesia de Calvão, no concelho de Chaves, e replicar o mesmo modelo na aldeia vizinha de Soutelinho da Raia. Os terrenos onde as centrais fotovoltaicas vão ser instaladas serão cedidos por habitantes locais.

Este projeto, que é pioneiro em Portugal, vai funcionar com base em empréstimos e não em equity. Além disso, esta iniciativa de financiamento colaborativo não tem encargos de subscrição, sendo o montante mínimo de cinco euros.

Inicialmente, este projeto foi lançado em modo privado, a fim de dar aos habitantes locais a possibilidade de serem os primeiros a investir. Em cerca de dez dias, foram angariados mais de 100 investidores e, assim sendo, a partir de agora, a subscrição passa a estar aberta a todos e pode ser consultada aqui.

“O projeto consiste na instalação de centrais de produção de energia fotovoltaica e de Comunidades de Energia nas aldeias de Castelões e de Soutelinho da Raia, que permitirão a todos os participantes usufruírem de energia local, limpa e descarbornizada, com um desconto de aproximadamente 25% relativamente ao custo da energia da rede durante as horas de sol”, explica Basílio Simões, presidente da Cleanwatts.

O responsável da empresa pioneira na criação de comunidades de energia em Portugal acrescentou ainda que “será instalado um total de 171kWp de potência fotovoltaica em duas centrais que produzirão cerca de 140MWh de energia limpa por ano”.

De ressalvar que os participantes nas comunidades não terão de fazer nenhum investimento nem de alterar os seus contratos com o atual comercializador de energia. Simplesmente passam a consumir, durante as horas de sol, uma parcela da energia de que necessitam a partir de uma fonte local, verde e sustentável, acelerando o processo de descarbonização destas aldeias.

Dentro deste projeto, a Cleanwatts também vai levar a cabo iniciativas de formação através das suas ferramentas digitais de gestão de energia que serão disponibilizadas à comunidade para monitorizar a energia renovável gerada, a energia consumida e para identificar oportunidades adicionais de poupança através de medidas de eficiência energética.

As comunidades energéticas de Castelões e Soutelinho da Raia estão inseridas no programa “100 Aldeias”, recentemente distinguido com o Prémio de Inovação Social Power Technology Excellence Awards, na categoria de “Impacto Social”. O objetivo do programa é “combater a pobreza energética, através da criação de comunidades locais de energia renovável e da promoção de boas práticas energéticas junto dessas comunidades”, concluiu Basílio Simões.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Projeto de crowdlending vai financiar novas comunidades de energia em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião