Guerra na Ucrânia põe petróleo acima dos 111 dólares. Galp sobe 6% e segura Lisboa

A puxar pelo desempenho do PSI-20 estão os ganhos da Galp Energia, à boleia das cotações de petróleo nos mercados internacionais. Brent soma mais de 6% e negoceia acima de 111 dólares/barril.

A bolsa de Lisboa arrancou a sessão em terreno negativo, em linha com a generalidade das praças, mas cedo inverteu a tendência. A puxar pelo desempenho do PSI-20 estão os ganhos da Galp Energia, que avança à boleia das cotações do petróleo nos mercados internacionais: o barril já negoceia a mais de 111 dólares, perante os receios com a guerra na Ucrânia.

Pela Europa, o Stoxx 600 está a recuar 0,1%, a par com o francês CAC-40 e com o espanhol IBEX-35, enquanto o alemão DAX recua 0,5%. Em contrapartida, o britânico FTSE 100 soma 0,5%, numa altura em que os investidores continuam no conflito armado a leste da Europa.

Em Lisboa, o PSI-20 abriu a sessão com perdas ligeiras, mas, entretanto, inverteu a tendência. Está a somar 1,03%, para 5.554,940 pontos, suportado nas valorizações do setor petrolífero e da energia renovável.

A Galp Energia soma 6,16%, para 10,86 euros, com os preços de petróleo nos mercados internacionais a tocarem máximos de sete anos. O Brent está a subir 5,87%, para 111,13 dólares, enquanto o WTI soma 6,28%, para 109,90 dólares.

Já a EDP Renováveis avança 1,88% para 21.64 euros, numa altura em que os investidores se viram para as energias renováveis. Nota ainda para os títulos da Nos, que avançam 0,88%, para 3.388 euros.

Em contrapartida, a impedir ganhos mais expressivos do índice de referência nacional está o BCP e a EDP. Os títulos do banco liderado por Miguel Maya cedem 3,05%, para 14,93 cêntimos, depois de ter perdido mais de 6% na sessão anterior. Já a elétrica portuguesa recua 0,52%, para 4,169 euros.

Nota negativa ainda para o setor papeleiro, bastante influenciado pelo contexto internacional. A Navigator cede 0,64%, para 3,104 euros, e a Altri cai 1,01%, para 5,385 euros. Em contrapartida, a Semapa soma 0,52%, para 11,54 euros.

Bolsas asiáticas em queda

As bolsas asiáticas caíram esta quarta-feira, no dia em que os preços do petróleo subiram mais de cinco dólares (4,5 euros) por barril à medida que as forças russas intensificavam os ataques às cidades ucranianas.

A queda registou-se em Xangai, Tóquio, Hong Kong e mercados do Sudeste Asiático, com ganhos em Seul e praticamente sem alterações em Sydney.

O índice de referência em Wall Street, o S&P 500, perdeu 1,5% na terça-feira, aprofundando uma derrapagem de dois meses.

A guerra aumenta as preocupações com o crescimento económico global face aos planos da Reserva Federal norte-americana e de outros bancos centrais para combater a inflação crescente através do aumento das taxas de juro.

(Notícia atualizada pela última vez às 9h57)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Guerra na Ucrânia põe petróleo acima dos 111 dólares. Galp sobe 6% e segura Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião