Delta, Sonae e EDP lideram ranking de reputação corporativa em Portugal

Estudo coloca o Grupo Nabeiro na dianteira dos critérios ambientais, sociais e de governação (ESG). Conheça as empresas mais bem pontuadas em 25 setores de atividade no mercado português.

O Grupo Nabeiro (Delta Cafés), a Sonae e a EDP lideram a edição portuguesa de 2021 do ranking Merco de avaliação corporativa, que avalia anualmente as empresas que melhor cumprem os critérios ambientais, sociais e de governação (ESG na sigla inglesa).

Jerónimo Martins (4º lugar), Galp (5º), Ikea (6º), Microsoft (7º), Lidl (8º), Vodafone (9º) e Continente (10º) completam o top 10 deste monitor de referência no espaço ibero-americano, lançado pela primeira vez em 1999, que resultou nesta pontuação a partir de cinco avaliações, 12 fontes de informação e 1.209 inquéritos.

No que respeita às subclassificações ESG (Ambiental, Social, Governança), a Delta é a empresa mais ambientalmente responsável, com o grupo de origem alentejana a liderar também a componente social e a comandar a lista respeitante à boa governação, sendo neste caso seguida pela Sonae e pela concorrente Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce.

Em declarações ao ECO, Rui Miguel Nabeiro sublinha que “a sustentabilidade está no ADN” do Grupo Nabeiro, que “trabalha continuamente para a conciliação entre o modelo de crescimento económico e o modelo de sustentabilidade de todas as nossas empresas, de forma a assegurar o desenvolvimento sustentado do negócio”.

“Estamos comprometidos na contínua aplicação de práticas empresariais ambientalmente sustentáveis, investindo no desenvolvimento de novas tecnologias e trabalhando para reduzir o impacto ambiental das nossas operações através da otimização dos processos fabris”, acrescenta o presidente executivo.

Trabalhamos continuamente para a conciliação entre o modelo de crescimento económico e o modelo de sustentabilidade de todas as nossas empresas.

Rui Miguel Nabeiro

CEO do Grupo Nabeiro (Delta Cafés)

Rui Miguel Nabeiro, que acaba de ser eleito presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, pretende que o grupo familiar “[continue] a ter um papel ativo na construção de valor para a sociedade, contribuindo para a adoção de comportamentos mais responsáveis, acrescentando simultaneamente valor aos vários momentos de consumo e de partilha proporcionados pelo café”.

Quais as empresas mais responsáveis em 25 setores?

O ranking identifica ainda as empresas líderes em cada um dos principais setores, como é o caso da Delta (alimentação), Accenture (auditoria e consultoria), Volkswagen (automóvel), Santander (banca), Super Bock Group (bebidas), Ikea (distribuição especializada), Jerónimo Martins (distribuição generalista), Renova (drogaria e perfumaria), Samsung (eletrónica de consumo / informática), Adecco (recursos humanos), Bial (farmacêutico) ou Sonae (holding empresarial).

Pestana (hotelaria e turismo), Corticeira Amorim (indústria), Microsoft (informática e software), ANA (infraestruturas e construção), Rádio Comercial (meios de comunicação), EDP (petróleo, gás, energia e água), Luz Saúde (saúde), Tranquilidade (seguros), Google (serviços de internet), Siemens (tecnológico / industrial), Vodafone (telecomunicações), Luís Simões (transporte de mercadorias e logística) e CP (transporte de passageiros) completam a lista setorial divulgada esta quinta-feira.

Sónia Cardoso, diretora de Sustentabilidade da Sonae, contabiliza que nas várias vertentes ESG, só em 2021, este que é o maior empregador privado em Portugal investiu 21 milhões de euros em apoios à comunidade, apoiou 1.271 instituições, disponibilizou mais de 700 horas dos colaboradores para iniciativas de voluntariado, reduziu em 16% as emissões de CO2, atingiu 74% de reciclabilidade das embalagens de plástico dos produtos e deu mais de 1,2 milhões de horas de formação aos colaboradores.

Cláudia Azevedo (CEO), João Günther Amaral (CDO) e João Dolores (CFO) durante a apresentação de resultados da Sonae, na MaiaDR Sonae 17 Março, 2022

“A cultura ética é o elemento central na vida da EDP. Tudo gira em redor da ética. O código, o processo ético, a provedoria independente, o regulamento, o sistema de auscultação e denúncia, as auditorias e os mecanismos de integridade. E ainda o facto de o CEO liderar a cultura ética, convocando-a em permanência e imprimindo a sua promoção e valorização”, respondeu, por outro lado, Miguel Viana, diretor de Sustentabilidade da EDP, questionado sobre os principais destaques ao nível ético e de governança corporativa.

Seguindo aquela que descreve como “a metodologia de evolução reputacional mais completa do mundo”, o Merco Responsabilidade ESG Portugal 2021 contou com a participação de 179 executivos de grandes empresas, 41 jornalistas de informação económica, 30 membros do governo, 36 analistas financeiros, 35 responsáveis de ONG, 35 dirigentes sindicais, 30 dirigentes de associações de consumidores e 800 cidadãos (Merco Consumo). A par destas avaliações, integra também uma análise da reputação na esfera digital das empresas (Merco Digital).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Delta, Sonae e EDP lideram ranking de reputação corporativa em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião