Apple alerta que medidas para regular App Store ameaçam privacidade

  • Lusa
  • 13 Abril 2022

Tim Cook critica possibilidade de permitir que utilizadores do iPhone “instalem manualmente” aplicações de lojas online, e defende que tentativas de regulação da App Store ameaçam privacidade.

O presidente executivo da Apple, Tim Cook, criticou esta quarta-feira as tentativas para regular a App Store, a loja online da gigante de tecnologia norte-americana, e garantiu que esses projetos ameaçam a proteção da privacidade dos utilizadores de iPhone.

Tim Cook, que falava durante um encontro da Associação Internacional de Profissionais de Privacidade em Washington, procurou reunir apoio sobre esta matéria, numa fase em que responsáveis políticos norte-americanos e de outros países procuram forçar a Apple a tornar possível a instalação de aplicações para telemóveis através de plataformas fora da App Store.

“Estamos profundamente preocupados com regulamentações que prejudicariam a privacidade e a segurança dos serviços”, sublinhou o dirigente, citado pela AFP.

“Os perigos que enfrentamos fazem mais do que comprometer os nossos dados, pois comprometem a nossa liberdade como seres humanos”, alertou.

O grupo sedeado em Cupertino, no Estado da Califórnia, encontra-se numa disputa judicial com a Epic Games, criadora do videojogo Fortnite, que procura contornar as regras da App Store e acusa a Apple de exercer um monopólio na compra de bens e serviços na sua loja online.

Em novembro, um juiz federal dos EUA determinou que a Apple permitisse um sistema de pagamento alternativo na App Store, mas também decidiu que a Epic Games não conseguiu provar que a Apple violou a lei da concorrência.

A gigante tecnológica encontra-se também envolvida em vários processos com reguladores europeus.

Permitir que os utilizadores do iPhone “instalem manualmente” aplicações de lojas online que não sejam a App Store ignoraria o processo de verificação da Apple para evitar vírus e limitar a recolha de dados, vincou Cook.

“Isto significa que as empresas que pretendem explorar os dados poderão contornar as nossas regras de proteção da privacidade e começar a rastrear os nossos utilizadores sem que eles saibam”, assegurou o dirigente.

“Isso também permitiria que atores mal-intencionados contornassem o nosso arsenal de medidas de proteção de privacidade, colocando esses atores em contacto direto com os nossos utilizadores”, referiu ainda.

As vozes críticas da Apple acusam a empresa de moldar a App Store para sua vantagem exclusiva, arrecadando grande parte das transações financeiras que ocorrem na plataforma e exercendo um controlo estrito sobre os criadores de aplicações.

“Se formos forçados a aprovar pedidos que não foram validados, as consequências serão profundas”, insistiu Tim Cook.

O responsável da Apple assegurou também que a empresa irá continuar a lutar pela sua posição nesta matéria.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apple alerta que medidas para regular App Store ameaçam privacidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião