Dona da Tabaqueira atinge meta de 40% de mulheres em funções de gestão

A próxima meta a alcançar já foi estabelecida: 35% de mulheres em cargos superiores até 2025. 

A Philip Morris International (PMI), a dona da Tabaqueira, alcançou o objetivo global de equilíbrio de género a que se tinha comprometido. A companhia já assegura, pelo menos, 40% de representação feminina em funções de gestão prevista para 2022. A próxima meta a alcançar já está definida: 35% de mulheres em cargos superiores até 2025.

“Estou imensamente orgulhoso do compromisso assumido pela PMI, e que nos permitiu alcançar a igualdade de oportunidades no local de trabalho, independentemente do género. O cumprimento deste objetivo demonstra que a nossa estratégia de inclusão e diversidade está a funcionar. A existência de perfis, backgrounds e perspetivas diversificadas permite-nos tomar melhores decisões e mais ponderadas, bem como contribuir para um desempenho melhor e mais sustentável”, afirma Jacek Olczak, CEO da PMI.

“Acredito firmemente que uma cultura baseada na justiça, na inclusão e na diversidade são cruciais para o progresso da PMI na prossecução de um futuro sem fumo e continuarão a beneficiar a nossa empresa, à medida que nos tornamos cada vez mais focados nas necessidades dos nossos consumidores”, acrescenta, citado em comunicado.

O novo objetivo que a empresa agora estabelece –- 35% de mulheres em cargos superiores até 2025 –- demonstra a aposta contínua da PMI em matéria de igualdade de género. Além disso, a empresa anuncia esta quinta-feira também a recertificação de EQUAL-SALARY, atribuída pela Fundação independente EQUAL-SALARY. Esta recertificação confirma que a PMI continua a pagar de forma igual a homens e mulheres pelo desempenho de funções iguais nos mais de 90 mercados onde opera.

“Este foi um esforço levado a cabo por toda a empresa, que exigiu que todos assumissem as suas responsabilidades. Estou extremamente satisfeita por termos atempadamente cumprido o nosso objetivo, mas reconheço que ainda temos um longo caminho a percorrer na nossa jornada de diversidade, igualdade e inclusão. Com isto em mente, o nosso próximo grande objetivo de representação de género inclui 35% de mulheres em cargos superiores até 2025”, diz Silke Muenster, responsável pela área da diversidade da PMI.

“Uma força de trabalho verdadeiramente diversificada é uma parte fundamental para alcançar o nosso objetivo de construir um futuro sem fumo. Estou muito orgulhosa dos progressos que fizemos até à data e estou confiante no que iremos atingir no futuro”, conclui.

Boas práticas

No passado mês de março, Silke Muenster dizia, em conversa com a Pessoas, que a empresa se esforça por recrutar em igual número mulheres e homens. Isso começa logo por, ao redigir os anúncios de emprego, utilizar linguagem neutra, de forma a garantir todos os candidatos, independentemente do género, submetem a sua candidatura.

Silke Muenster, responsável pela área da diversidade da PMI.

Uma vez na empresa, os profissionais podem contar com um programa de desenvolvimento profissional. “Concentramo-nos em apoiar o crescimento e progresso de todos os colaboradores através de planos de desenvolvimento personalizados e acesso a oportunidades de aprendizagem, contribuindo para uma liderança mais equilibrada em termos de género ao longo do tempo”, detalhava a responsável pela diversidade da companhia, na altura.

Ainda neste campo, a PMI começou, a partir de janeiro 2021, a implementar uma licença parental global mais inclusiva. O objetivo é ajudar os seus colaboradores — mulheres e homens — a serem pais mais presentes, capazes de equilibrar a vida pessoal e a vida profissional. “Estes novos princípios de licença mínima proporcionam aos prestadores de cuidados primários um mínimo de 18 semanas de licença parental totalmente remuneradas e aos prestadores de cuidados secundários um mínimo de oito semanas de licença parental totalmente remuneradas”, defendeu Silke Muenster.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dona da Tabaqueira atinge meta de 40% de mulheres em funções de gestão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião