Mais de metade dos portugueses defende uso obrigatório de máscara

  • ECO
  • 28 Maio 2022

Mais de metade está contra o fim da obrigatoriedade do uso de máscara de proteção contra a covid-19 nos espaços fechados, segundo uma sondagem para o DN, JN e TSF.

O Governo aboliu o uso obrigatório de máscara de proteção contra a covid-19 em locais fechados a partir de 21 de abril, mas segundo uma sondagem da Aximage para o DN, JN e TSF a maioria dos portugueses discorda da decisão.

A decisão de pôr fim às máscaras, com exceção dos serviços de saúde e transportes públicos, não agradou a 55% dos inquiridos na sondagem, realizada entre 19 e 24 de maio.

Segundo o inquérito, a maioria dos críticos é da região Norte, embora na Área Metropolitana do Porto a maior o resultado é o inverso, com a maior parte a concordar. Por grupos etários, são os idosos que mais discordam do fim da obrigatoriedade.

Apesar da decisão do Governo, 46% dos inquiridos respondeu continuar a usar máscara em espaços fechados e 32% fazem-no às vezes.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mais de metade dos portugueses defende uso obrigatório de máscara

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião