ūüďĻPortugal √© o segundo maior exportador de carne de tubar√£o a n√≠vel mundial

ANP/WWF alerta que das 117 espécies que se conhecem nas águas portuguesas, quase metade está ameaçada. Espanha é o principal parceiro comercial de Portugal.

Portugal é segundo país a nível mundial que mais exporta carne de tubarão, sendo ainda o sexto maior importador de carne de raia em termos de volume.

Os dados e o mapa interativo, divulgados pela Associação Natureza Portugal (ANP), que trabalha em parceria com a internacional World Wide Fund for Nature (WWF), servem de alerta numa altura em que se assiste a uma sobrepesca e teme-se pelo fim destas espécies.

Segundo as organiza√ß√Ķes, s√£o pecados, por minuto, 192 tubar√Ķes e raias s√£o pescados em mundo, “numa rede de com√©rcio complexa que amea√ßa a sobreviv√™ncia destas esp√©cies e a boa sa√ļde dos oceanos”. No mapa interativo, a ANP/WWF ilustra as rotas e volumes transacionados da carne e barbatanas de tubar√£o e de raia a n√≠vel mundial e destaca o impacto causado por Portugal na exporta√ß√£o e reexporta√ß√£o de carne de tubar√£o e raia, e a necessidade de melhorar a informa√ß√£o sobre este com√©rcio.

Segundo o documento, Espanha √© o principal parceiro comercial de Portugal no que toca a tubar√Ķes e raias, com 95% das importa√ß√Ķes de carne de raia a virem do pa√≠s vizinho e 75% das exporta√ß√Ķes de Portugal de carne de tubar√£o a irem para l√°.

‚ÄúO com√©rcio mundial √† base de tubar√Ķes e raias est√° a esgotar estas esp√©cies, e movimenta mais de quatro mil milh√Ķes de d√≥lares anualmente, envolvendo mais de 190 pa√≠ses ou territ√≥rios. O valor resultante do com√©rcio de carne de tubar√£o e raia √© atualmente quase o dobro do valor do com√©rcio das suas barbatanas, apesar destas terem muito mais aten√ß√£o medi√°tica‚ÄĚ, diz √āngela Morgado, diretora executiva da ANP|WWF, citada em comunicado. A respons√°vel considera ainda que ‚Äúeste com√©rcio √© pouco regulado, n√£o transparente e perpetua a explora√ß√£o destas esp√©cies de uma forma pouco saud√°vel para elas e para n√≥s, j√° que o equil√≠brio do ecossistema depende em larga escala delas‚ÄĚ.

Das 1.200 esp√©cies de tubar√Ķes e raias conhecidas ‚Äúmais de 36% est√£o amea√ßadas‚ÄĚ, sendo este o segundo grupo, depois dos anf√≠bios, com mais esp√©cies amea√ßadas de extin√ß√£o do planeta, alerta a organiza√ß√£o ambientalista. Por sua vez, refere que das 117 esp√©cies que se conhecem nas √°guas portuguesas, quase metade j√° se encontra amea√ßada.

“Os tubar√Ķes e raias s√£o muito mais importantes no oceano do que no nosso prato. Para reverter esta situa√ß√£o, precisamos urgentemente de desenvolver e implementar um Plano Nacional de A√ß√£o que os proteja, tal como foi prometido pelo anterior Governo‚ÄĚ, diz Ana Henriques, especialista em Oceanos e Pescas da mesma ONG.

Na mesma nota, a especialista defende que se Portugal implementasse medidas de prote√ß√£o dos tubar√Ķes e raias, poderia ter um papel de “lideran√ßa europeia da prote√ß√£o destas esp√©cies, dando o exemplo a outros pa√≠ses europeus importantes no com√©rcio”, como Espanha e It√°lia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Coment√°rios ({{ total }})

ūüďĻPortugal √© o segundo maior exportador de carne de tubar√£o a n√≠vel mundial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discuss√£o dando a sua opini√£o