Projeto português de reciclagem de brinquedos vence prémio europeu

O Replay, projeto de origem nacional que visa "travar a eliminação de brinquedos em aterros e promover economia circular", está entre os 18 premiados do galardão Novo Bauhaus Europeu em 2022.

Há um projeto português entre os 18 vencedores dos Prémios 2022 do Novo Bauhaus Europeu. O Replay, dedicado a “repensar e reciclar brinquedos” ganhou na categoria “Shaping a circular industrial ecosystem and supporting life-cycle thinking” (desenvolver um ecossistema industrial circular e apoiar o conceito de ciclo de vida).

Os prémios foram anunciados durante a cerimónia de encerramento do primeiro Festival Bauhaus Europeu. Durante o evento, as comissárias Elisa Ferreira e Mariya Gabriel anunciaram os vencedores dos Prémios Novo Bauhaus Europeu de 2022 que “celebram novas soluções que servem de inspiração às transformações que o Novo Bauhaus Europeu visa introduzir a nível do quotidiano, espaços de vida e nossas experiências”.

Liderado pelo Zero Waste Lab e pela Precious Plastic Portugal, o Replay tem o propósito de travar a eliminação de brinquedos em aterros e incineradoras, assim como promover a criação de redes circulares municipais de recolha, reparação e reciclagem de materiais de brinquedos de boa qualidade. Os mentores do projeto alertam para o facto de “quase 30 milhões de brinquedos acabarem em aterros ou incinerados, todos os anos, em Portugal”.

Uma das grandes metas deste projeto consiste ainda em explorar novas perspetivas de produção sustentável e de consumo, mas com os olhos postos na economia circular e descentralizada.

Em 2021, a Replay criou a primeira rede de recolha e triagem de brinquedos em fim de vida e testou um circuito de reciclagem nos municípios de Évora, Lisboa, Cascais, Porto e Figueira de Castelo Rodrigo. Este projeto-piloto envolveu ainda as escolas e diversas entidades locais, “fornecendo ferramentas cruciais para a educação ambiental e o envolvimento cívico proativo, aumentando a procura da sua continuidade a partir do zero”, lê-se no site da União Europeia a propósito dos vencedores dos Prémios 2022 do Novo Bauhaus Europeu. O objetivo final é criar os alicerces para o desenvolvimento em rede de um sistema nacional de reciclagem dos brinquedos em fim de vida, começando pelos cinco municípios.

Este projeto inovador vem, assim, transformar o plástico em novos brinquedos, mediante parcerias com projetos criativos locais para a reciclagem de outros materiais como papel, componentes eletrónicos, metal e borracha.

Como resultado deste projeto, dezenas de instituições de caridade locais já receberam brinquedos em bom estado. O projeto chegou a recolher um conjunto de dados quantitativos e qualitativos relacionados com este mercado em Portugal, como a composição dos brinquedos e a reciclabilidade dos materiais ou a identificação dos intervenientes no setor da reciclagem e reparação. O objetivo passa por lançar as bases para um esquema de responsabilidade alargada do produtor de brinquedos.

Nesta edição dos prémios do Novo Bauhaus Europeu foram atribuídos quatro prémios a igual número de categorias de projetos. Os vencedores da categoria “Reconnecting with nature” (restabelecer a ligação com a natureza) são provenientes de Espanha, França, Alemanha e Polónia. Os prémios “Regaining a sense of belonging” (Recuperar um sentimento de pertença) foram distribuídos a projetos da Áustria, Lituânia, Polónia e Chéquia.

Dos novos materiais à saúde pública

Em paralelo ao processo de recolha de brinquedos antigos, durante a campanha Replay, vários estudantes universitários foram desafiados, no âmbito de um concurso de design, a desenvolver o conceito de um novo brinquedo a ser fabricado a partir de plástico reciclado. “O conceito vencedor “OIO” foi materializado pela Opolab em três moldes para serem utilizados em máquinas Precious Plastic Portugal (PPP)”, lê-se no mesmo site.

“Foram, assim, enviadas réplicas para laboratórios PPP nos cinco municípios, que estão contemplados no projeto. O passo seguinte consistiu na produção a partir de 45 mil peças de plástico que foram recolhidas. “O Replay também foi capaz de testar a reciclabilidade de outros materiais encontrados em brinquedos, como borracha, eletrónica, papel e plástico duro, abrindo caminhos para novos fluxos de reciclagem”, acrescenta.

Este projeto também visou ainda sensibilizar o público para a falta de sustentabilidade do mercado dos brinquedos, além da promoção da saúde pública e defesa do meio ambiente. Na realidade, lê-se, “da produção à eliminação, os brinquedos colocam problemas ambientais e de saúde pública: utilização de materiais de baixa qualidade e produtos químicos perigosos, falta de reparabilidade e reciclabilidade, produção de resíduos, comercialização dirigida às crianças e consumo excessivo”.

Partindo, por isso, dos princípios de Zero Resíduos Repensar, Reduzir, Reparar, Reutilizar, a Replay reuniu vários intervenientes e especialistas em torno de relevantes temas, como toxicidade dos brinquedos, conceção ecológica. Até porque, na base deste projeto está a ideia de que grande parte dos brinquedos é fabricada com muitos materiais diferentes, tornando difícil a sua reciclagem. A tudo isto acresce o facto de “o número de brinquedos com plástico de baixa qualidade que são oferecidos como brinde”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Projeto português de reciclagem de brinquedos vence prémio europeu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião