Kerry: “Conseguimos fazer melhor” na transição climática

O enviado especial do Presidente dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, falou no Fórum de Investimento Sustentável na Economia Azul, um evento paralelo à Conferência dos Oceanos.

O enviado especial do Presidente dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, falou no Fórum de Investimento Sustentável na Economia Azul, um evento paralelo à Conferência dos Oceanos, que decorreu esta terça-feira, em Lisboa. Kerry afirmou-se frustrado porque “conseguimos fazer melhor”, referindo-se aos esforços de transição climática. “Estamos só a fazer negócios como de costume, porque é mais fácil para muita gente”, acusou. Ao mesmo tempo, salientou as “grandes oportunidades” que estão à espera do setor privado, que podem tornar indivíduos “mais ricos que Jeff Bezos”, afirmando que este é necessário para que os objetivos climáticos sejam atingidos.

Com os olhos postos nos objetivos climáticos que foram definidos até 2030, e no objetivo de não haver quaisquer emissões poluentes em 2050, “precisamos do setor privado. Temos de ser criativos”, defende o enviado norte-americano. “Não há forma de os governos financiarem isto [a transição energética] sozinhos”, disse.

“Se é um investidor, empresário, não está sozinho. Tem um apoio sem precedentes, e uma grande oportunidade pela frente”, defendeu Kerry, acreditando que agora, o necessário é avançar com métodos de financiamento inovadores e escaláveis, com produtos de seguro que ajudam a reduzir o risco das novas oportunidades. Para Kerry, quem descobrir o segredo para o armazenamento de energia em larga escala, por exemplo, será o mais rico que o atua terceiro homem mais rico do mundo, e que já esteve em primeiro lugar, o norte-americano Jeff Bezos.

Invasão da Ucrânia é condenável, mas “não é desculpa” para descuidar clima

John Kerry havia já condenado, esta terça-feira ao intervir na Conferência dos Oceanos, a ofensiva da Rússia na Ucrânia, mas sublinhou que a guerra não é desculpa para descuidar a defesa do ambiente.

O enviado de Joe Biden fez em Lisboa “um apelo urgente” para a Rússia facilitar a distribuição de ajuda humanitária, permitir a retirada segura de mulheres e crianças e retirar “imediatamente as suas forças da Ucrânia”.

“Mas não podemos usar essa desculpa”, da guerra, para a comunidade internacional desviar a atenção da luta contra as alterações climáticas, porque “o ambiente e o clima não param por causa de uma invasão. Vidas estão em jogo”, afirmou.

“O oceano toca todos os aspetos das nossas vidas, do que respiramos ao que comemos”, declarou John Kerry, que na sua intervenção detalhou depois alguns dos impactos negativos da pesca ilegal e dos plásticos nos oceanos e iniciativas que os Estados Unidos lideram na defesa dos oceanos.

(Notícia atualizada com as declarações no Fórum de Investimento Sustentável na Economia Azul, às 17:24)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Kerry: “Conseguimos fazer melhor” na transição climática

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião