Lisboa avança 2% impulsionada pelo setor energético

Bolsa encerrou com todas as cotadas em terreno positivo, numa sessão em que as cotadas da energia brilharam. GreenVolt disparou mais de 4% e foi a estrela.

A bolsa de Lisboa encerrou esta terça-feira pintada de verde, em linha com o desempenho do resto da Europa. A contribuir para esta tendência de ganhos estiveram, sobretudo, os títulos do setor energético, com destaque para a GreenVolt, que disparou mais de 4%.

O PSI somou 1,94%, para 6.172,51 pontos, num dia em que o índice de referência europeu, Stoxx 600, valorizou 0,23%, para 416,04 pontos. Em Lisboa, todas as cotadas encerraram em terreno positivo, à exceção dos CTT, cujas ações se mantiveram inalteradas.

A contribuir para este desempenho do índice nacional estiveram as cotadas do setor energético, com destaque para a GreenVolt, que disparou 4,26%, para 7,34 euros, representando a maior subida desta sessão. A EDP avançou 3,42%, para 4,633 euros, e a EDP Renováveis cresceu 1,37%, para 22,93 euros.

A Galp Energia ganhou 2,92%, para 11,795 euros, no dia em que o preço do barril de petróleo está a valorizar cerca de 1,5% nos mercados internacionais.

Ainda nas subidas, destaque para o BCP, que avançou 0,88%, para 0,1726 euros, e para o setor do retalho, com a Sonae a avançar 2,09%, para 1,175 euros, e a Jerónimo Martins a valorizar 1,85%, para 20,34 euros.

As papeleiras também se destacaram esta terça-feira, com a Semapa a crescer 2,11%, para 13,54 euros; a Navigator a avançar 0,67%, para 3,898 euros; e a Altri a subir 1,17%, para 6,5 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa avança 2% impulsionada pelo setor energético

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião