Aeroporto Humberto Delgado vai para obras no próximo ano. Custo estimado é de 200 a 300 milhões

Capacidade do aeroporto de Lisboa não será aumentada, mas obras vão permitir melhorar a circulação dos passageiros e a pontualidade.

O Aeroporto Humberto Delgado vai ter obras de modernização a partir do próximo ano, com o objetivo de melhorar a circulação de passageiros e a pontualidade. Já o número de movimentos de voos irá manter-se o mesmo.

A informação foi avançada por fonte do Ministério das Infraestruturas, que cifra o custo da intervenção num intervalo entre 200 e 300 milhões de euros. O investimento será feito pela ANA, a concessionária do aeroporto.

Num despacho publicado esta quarta-feira à tarde em Diário da República, da responsabilidade do Secretário de Estado das Infraestruturas, é dito que as obras “terão como único objetivo a melhoria da operacionalidade da infraestrutura, de modo a aumentar a qualidade da experiência dos passageiros, a redução dos atrasos na operação e o incremento do desempenho ambiental do aeroporto.”

Fica também afastada a hipótese de um alargamento da capacidade da infraestrutura, que fazia parte das opções até hoje em cima da mesa para o reforço da capacidade aeroportuária da região de Lisboa. Uma decisão justificada no despacho com a “dificuldade que se estima em poder obter uma declaração de impacte ambiental que a viabilizasse e pelo ambiente social de rejeição cada vez mais generalizada de um possível aumento do número de movimentos por hora no Aeroporto Humberto Delgado”.

Fonte do Ministério das Infraestruturas referiu ainda não existir respaldo político — desde o Bloco de Esquerda ao Chega — para o alargamento. A capacidade máxima atual do aeroporto é de 38 movimentos por hora.

O Governo decidiu avançar para a construção do aeroporto na Base Aérea n.º 6, no Montijo, que espera estar concluída até ao final de 2026, e de um novo aeroporto de raiz no Campo de Tiro de Alcochete. O que permitirá no futuro ” o encerramento do Aeroporto Humberto Delgado, libertando a cidade dos impactes associados a uma infraestrutura aeroportuária tão perto do centro urbano.

Segundo o despacho, “a evolução de movimentos no Aeroporto Humberto Delgado está acima do cenário mais otimista de recuperação estimado pelo Eurocontrol no passado mês de maio, prevendo-se que no verão de 2022 praticamente sejam recuperados os níveis de 2019, o ano em que foram atingidos os recordes de tráfego e em que o Aeroporto Humberto Delgado demonstrou grandes dificuldades para acomodar toda a procura com níveis de qualidade de serviço aceitáveis para os utilizadores”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aeroporto Humberto Delgado vai para obras no próximo ano. Custo estimado é de 200 a 300 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião