Inflação acelera para 8,7%, o valor mais alto desde 1992

Energia é a componente com maior disparo nos preços. Taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá sido de 31,7%, valor mais alto desde agosto de 1984.

Depois de ter atingido os 8% em maio, a inflação em Portugal voltou a acelerar para se fixar em 8,7% em junho, segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgada esta quinta-feira. É o valor mais elevado desde dezembro de 1992, segundo indica o gabinete de estatísticas.

“Tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 8,7% em junho (8,0% em maio)”, indica o INE, sendo este o valor mais elevado desde dezembro de 1992.

Olhando para o indicador de inflação subjacente, que contempla o índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, este registou “uma variação de 6,0% (5,6% no mês anterior), registo mais elevado desde maio de 1994”, segundo o gabinete de estatísticas nacional.

A energia continua a ser a componente a registar um maior disparo nos preços, sendo que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá sido de 31,7% (27,3% no mês precedente), valor mais alto desde agosto de 1984. O índice referente aos produtos alimentares não transformados teve uma evolução menos expressiva, apresentando uma variação de 11,9% (11,6% em maio).

A inflação tem vindo a acelerar de mês para mês, ainda que neste último tenha sido a um ritmo inferior: “Comparativamente com o mês anterior, a variação do IPC ter-se-á fixado em 0,8% (1,0% em maio e 0,2% em junho de 2021)”. O INE indica ainda que a variação média nos últimos doze meses será de 4,1% (3,4% no mês anterior).

Já o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português, que é o indicador utilizado para a comparação europeia, terá registado uma variação homóloga de 9,0% (8,1% no mês anterior).

O INE vai confirmar os dados desta estimativa rápida para o mês de junho de 2022 no próximo dia 12 de julho.

(Notícia atualizada às 11h20)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Inflação acelera para 8,7%, o valor mais alto desde 1992

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião