Direto UE já recebe mais gás natural dos EUA do que da Rússia

  • ECO
  • 1 Julho 2022

Pelo menos 17 pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas na sequência de um ataque de mísseis das tropas russas perto de Odessa. Bruxelas pediu à Ucrânia para acelerar a luta contra a corrupção.

As tropas russas lançaram mísseis junto a edifícios residenciais perto do porto de Odessa, no Mar Negro. Na sequência deste ataque, pelo menos 17 pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas.

Também esta sexta-feira, as forças russas intensificaram a ofensiva militar contra a cidade de Lysychansk, o último reduto ucraniano na região oriental de Lugansk, com ofensivas “em quatro direções”, disse o representante da Rússia da autoproclamada república popular.

No plano político, a presidente da Comissão Europeia pediu à Ucrânia para acelerar a luta contra a corrupção, garantindo ainda o apoio da União Europeia no “longo caminho” para a adesão ao bloco comunitário.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

UE já recebe mais gás natural dos EUA do que da Rússia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião