Álvaro Sobrinho acusado de desviar 6 mil milhões de euros

O antigo presidente do Banco Espírito Santo Angola (BESA) está acusado de crimes de burla agravada, abuso de confiança ou branqueamento de capitais.

Álvaro Sobrinho, antigo presidente do BES Angola, está acusado pelo pelo Ministério Público, avança a CNN Portugal, por desviar centenas de milhões de euros do banco para contas por ele controladas, nomeadamente na Suíça.

Em causa estão crimes como burla agravada, abuso de confiança ou branqueamento de capitais, num esquema com recurso a testas de ferro através da concessão irregular de empréstimos, entre 2009 e 2013, de um total de 6 mil milhões de euros.

Em março deste ano, o juiz Carlos Alexandre do Tribunal Central de Instrução Criminal aplicou a medida de coação de pagamento de uma caução de seis milhões e ainda a apreensão de passaporte. Ficou ainda proibido de sair do país, a não ser que pague a caução. Mas pode apenas movimentar-se em território europeu. Juntou-se assim a Manuel Pinho como os arguidos com a mais alta caução de sempre atribuídas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Álvaro Sobrinho acusado de desviar 6 mil milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião