Inflação acelera gastos nos supermercados e procura por marcas brancas

  • ECO
  • 16 Agosto 2022

A inflação está a acelerar os gastos das famílias nos supermercados, com a procura por marcas brancas a crescer 22% em julho face ao período homólogo.

Nos primeiros sete meses deste ano, os gastos nos supermercados totalizaram quase seis mil milhões de euros, o que representa um aumento de 5,8% face a igual período de 2021, segundo os dados da NielsenIQ citados pelo Diário de Notícias (acesso livre). Inflação impulsiona procura por marcas brancas.

As vendas em valor nos hiper e supermercados estão a disparar. Se no primeiro mês deste ano, o setor arrancou em linha com o ano passado e em fevereiro caiu 1%, desde março que as vendas têm vindo a disparar à boleia da escalada da inflação. Só em julho, as vendas a retalho cresceram 12,9%, a maior subida desde o início de 2022.

No acumulado deste ano, as famílias já gastaram mais 326 milhões de euros do que no mesmo período do ano passado. A escalada dos preços está a impulsionar a procura pelas marcas de distribuição, que cresceram 22,1% no total dos bens de grande consumo em julho contra os 7,5% das marcas de fabricantes, mas cresceram 23,4% nos produtos alimentares. A tendência não é nova, mas tem vindo a crescer com a subida dos preços, sendo que a quota das marcas brancas, no segmento da alimentação, é já de 46%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Inflação acelera gastos nos supermercados e procura por marcas brancas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião