Novo presidente do IGCP entra a 1 de setembro com salário do privado

Miguel Martín, ainda gestor da Ascendi, sucede a Cristina Casalinho na liderança da agência responsável por gerir a dívida pública portuguesa.

Miguel Martín vai assumir a presidência da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) dia 1 de setembro. O nome do sucessor de Cristina Casalinho na gestão do Tesouro nacional foi confirmado nesta sexta-feira, mais de um mês depois de a informação ter sido adiantada em primeira-mão pelo ECO.

O novo líder do IGCP vai receber o mesmo salário que auferia enquanto gestor da Ascendi, graças a uma autorização do ministro das Finanças, Fernando Medina. O Estatuto do Gestor Público prevê que os gestores “podem optar pela remuneração do lugar de origem, mantendo as regalias ou benefícios remuneratórios que aí detinham” quando “ocorrer autorização expressa do membro do Governo responsável pela área das finanças”.

Ainda na concessionária de autoestradas Ascendi, Miguel Martín foi administrador financeiro da Águas de Portugal entre 2016 e 2019, período em que coincidiu com o secretário de Estado João Nuno Mendes quando era presidente daquela empresa pública.

Em julho, uma fonte do Governo afirmou ao ECO que Fernando Medina valorizou, na escolha do novo líder do IGCP, a experiência como administrador financeiro e em setores regulados, como a energia, a banca e água.

O ministro das Finanças já definiu os objetivos para o gestor que sucede a Cristina Casalinho, o mais importante dos quais posicionar a dívida pública nacional como um ativo atrativo para os investidores, prosseguindo, em simultâneo, a estratégia de melhoria da notação de rating da República.

Por outro lado, Miguel Martin tem a incumbência de inovar em instrumentos de dívida alinhados com novas tendências, como as emissões ‘verdes’, mas também tem o objetivo de otimizar a relação com o cliente de retalho, isto é, com os particulares que investem em títulos de dívida pública.

Cristina Casalinho saiu do IGCP em meados de julho, depois de uma década na agência pública: nos primeiros dois como vice-presidente de João Moreira Rato e depois, a partir de 2014, como presidente.

Vogais começam mandato hoje

O novo conselho de administração do IGCP vai contar com mais dois elementos: Rita Granger mantém-se como vogal, posição que ocupa desde 2019; Rui Amaral transita da unidade de investimento da Caixa Geral de Depósitos (Caixa BI). Os dois vogais começam o mandato a partir desta sexta-feira.

Rita Granger vai receber um prémio de desempenho, mediante os objetivos cumpridos fixados no contrato e que estão sujeitos a avaliação por parte da área das finanças, refere o mesmo despacho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Novo presidente do IGCP entra a 1 de setembro com salário do privado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião