Walk Talks. A necessidade de atuar “para que não fique tudo pelas boas intenções”

  • Pessoas
  • 2 Setembro 2022

Uma conversa, enquanto se caminha, que se repete todas as semanas aqui na Pessoas.

Desacelerar, reconectar e ganhar perspetiva são três dos momentos que pautam um processo de desenvolvimento pessoal, e de que João Perre Viana e Nuno Santos Fernandes, os partners e mentores da Walking Mentorship, nos têm vindo a falar nas últimas semana. Esta sexta-feira abordam, finalmente, a último fase de um processo de mentoria: atuar.

“Fazer acontecer é absolutamente determinante para que não fique tudo pelas boas intenções e depois seja uma mão cheia de nada”, afirma Nuno Santos Fernandes.

Uma conversa, enquanto se caminha, que se repete todas as semanas aqui na Pessoas. Bem-vindos à Walk Talks.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Walk Talks. A necessidade de atuar “para que não fique tudo pelas boas intenções”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião