“Os escritórios não devem depender de alguns rainmakers mas sim da marca”, diz Diogo Perestrelopremium

Diogo Perestrelo, sócio da PLMJ, esteve à conversa com a Advocatus sobre o seu percurso até chegar ao escritório, o setor da advocacia e ainda sobre a área de corporate e M&A, a qual é co-coordenador.

Advogado de David Neeleman na TAP, Diogo Perestrelo assessorou as primeiras PPP de infra estruturas e da Saúde em Portugal. Colaborou no IPO da Galp e esteve com as principais privatizações que aconteceram no período da presença da troika em Portugal. Em relação à companhia aérea, depois de ter assessorado a privatização nos tempos da troika, voltou a ser o advogado a acompanhar a reversão da privatização com o empresário americano.Entre várias grandes transações, assessorou a compra da Ascendi pelo Fundo Ardian, a compra do grupo Tivoli pela Minore em 2018, coordenou a equipa responsável pela joint ventureentre a Morgan Stanley Infraestruturas e o Fundo Horizon. Recentemente, coordenou em representação do fundo americano SVP a disputa com a Brisa pelo controle das concessões

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos