Virgílio Lima quer “continuidade e renovação sem ruturas” na gestão do Banco Montepiopremium

O candidato da lista A quer promover, se vencer as eleições, uma equipa de "continuidade e renovada" à frente do Montepio. Adianta que mutualista vai recuperar imparidades no banco a partir de 2022.

A Associação Mutualista Montepio Geral(AMMG) tem 2,4 mil milhões de euros dos associados aplicados no Banco Montepio, dos quais cerca de 1.000 milhões são perdas por imparidade. O presidente da AMMG e candidato da Lista A nas eleições de 17 de dezembro, Virgílio Lima, assegura que a mutualista vai começar a recuperar esse dinheiro perdido a partir do próximo ano. "2022 será gerador de resultados alinhados com a média do setor, isso permitirá libertar imparidades" no banco, garante. Em entrevista ao ECO, Lima, como é conhecido dentro do Montepio, adianta ainda que, se vencer as eleições, vai nomear uma equipa do banco de "continuidade" e renovada ao mesmo tempo, mas "sem ruturas", como aconteceu no passado e foi fator de muita instabilidade para o banco. Também revelou que o problema do

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos