Dia da Energia. 40 dicas para poupar dinheiro e proteger o ambiente

Neste Dia Mundial da Energia, o ECO/Capital Verde reuniu as melhores dicas de poupança dos especialistas da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos e da Deco.

O desconfinamento já vai a caminho da terceira fase em Portugal, as empresas estão a abrir portas, mas muitas famílias ainda passam os dias em casa em teletrabalho ou ensino à distância, tendo em conta que este ano e por causa da pandemia de Covid-19 o ano letivo só termina a 26 de junho.

Por isso, e durante pelo menos, mais um mês, o trabalho e o estudo em casa vão continuar a pesar nas faturas domésticas da luz e do gás, que já têm vindo a engordar para muitos portugueses desde o início do estado de emergência, em meados de março. Só na EDP, mais de 15 mil famílias já recorreram ao pagamento faseado das contas da luz, permitido pelo Governo e pela ERSE. Até 31 setembro, nenhum fornecedor de eletricidade ou gás poderá cortar o abastecimento por causa de falta de pagamento.

Por tudo isto, poupar energia faz ainda mais sentido em 2020, ano em que a urgência da luta contra as alterações climáticas e a transição energética em curso serviram de base para o plano de recuperação verde da economia portuguesa e europeia que agora se desenha.

Neste Dia Mundial da Energia, o ECO/Capital Verde reuniu as 40 melhores dicas de poupança dos especialistas da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos e da Deco.

  1. Use lâmpadas LED e poupe num ano até 8€ por lâmpada.
  2. Verifique se a iluminação em cada divisão da casa está sobredimensionada. Desligue algumas lâmpadas.
  3. Use as máquinas de lavar com a carga completa e num programa de baixa temperatura. Se tiverem a função de arranque diferido, use-a para que funcionem de madrugada.
  4. Evite ligar em simultâneo eletrodomésticos com consumos significativos de eletricidade, como cafeteiras elétricas, fornos elétricos, máquinas da roupa e da loiça e aspiradores, para reduzir os picos de consumo na rede elétrica.
  5. Se tiver tarifa bi-horária, escolha os horários de vazio para os consumos maiores de energia.
  6. Ao utilizar as máquinas no período noturno poderá poupar 20€/ano (máquina de lavar roupa) e 30€/ano (máquina de lavar loiça).
  7. Evite usar a máquina de secar roupa. Aproveite o sol e o vento e dê primazia ao estendal sempre que as condições climatéricas o permitam.
  8. Não baixe demais a temperatura do frigorífico e reduza o tempo de abertura da porta.
  9. Verifique se a temperatura de frigoríficos e arcas congeladoras estão ajustadas: embora dependa do modelo, no frigorífico, deve rondar os 5 a 8°C e, no congelador, -17° a -20°C. Se possível, certifique-se de que as grelhas traseiras estão limpas e desobstruídas. Abra estes aparelhos o menos possível.
  10. Caso seja inadiável comprar um novo eletrodoméstico, como um frigorífico ou uma arca, opte por aparelhos com baixos consumos de eletricidade Veja sempre a etiqueta energética.
  11. Com o tempo quente, baixe a temperatura da água do esquentador.
  12. Desligue o fogão e o forno minutos antes de acabar de cozinhar. O calor acumulado permite terminar a tarefa.
  13. Caso tenha um sistema fotovoltaico para autoconsumo (ou outro sistema de produção de eletricidade para autoconsumo, como geradores eólicos), procure alinhar o ciclo de utilização dos eletrodomésticos com o de produção do sistema para autoconsumo.
  14. Ao reduzir o consumo de água quente, baixa também o gasto de gás ou de eletricidade. Regule a temperatura do equipamento de produção de água quente sanitária na posição “Eco” ou num valor próximo do usado na torneira.
  15. Prefira sempre tomar duche e evite banhos de imersão.
  16. Se tiver um termoacumulador elétrico, procure tomar banho fora de horas de maior consumo (por exemplo, a meio da manhã ou da tarde), para que a resistência do termoacumulador se ative-se em períodos de menor congestionamento da rede elétrica.
  17. Instale redutores de caudal nas torneiras e cabeças de chuveiro; repare fugas e torneiras a pingar; isole as tubagens de água quente da habitação, caso estas estejam no exterior das paredes e acessíveis.
  18. Use sistemas de medição inteligentes e tomadas centrais que desligam automaticamente vários equipamentos em vez de os deixar em modo ar em modo stand-by (TV, box, equipamento de som). Pode poupar energia até 60€/ano.
  19. Os aparelhos em stand-by continuam a gastar energia, desligue-os totalmente.
  20. Ajuste a potência contratada ao número de aparelhos que liga ao mesmo tempo.
  21. A leitura do contador comunicada por si tem o mesmo valor que a realizada pela empresa. Evite estimativas.
  22. Caso precise de recorrer a um aparelho de aquecimento portátil, reduza a sua utilização ao máximo. No caso do termoventilador, ligue-o apenas quando alguém estiver na divisão e desligue-o assim que sair ou for dormir. Regule o termóstato para uma temperatura que permita que vá ligando e desligando. Caso use um radiador a óleo, mantenha-o em funcionamento o menor tempo possível e regule o termóstato para, no máximo, 21°C. Desligue-o se sair por mais tempo.
  23. Se usar um aparelho de ar condicionado, regule-o para 20 a 21°C ,no inverno, e 24° a 25°C, no verão. Ligue o equipamento quando estiver na divisão e desligue-o, se sair por um período prolongado.
  24. Se tiver um sistema de aquecimento central, verifique se o termóstato está no modo de inverno e regule-o segundo as necessidades, mantendo a temperatura da caldeira o mais baixa possível. Feche os radiadores nas divisões que não usar.
  25. Nos combustíveis, abasteça logo de manhã ou durante os períodos mais frescos. Nessas alturas do dia o combustível está “mais denso” e, como paga ao litro, comprará mais combustível a um menor preço.
  26. Encha o depósito ao máximo sempre que possível. Evitará várias deslocações para abastecer.
  27. Quando for encher o depósito, não aperte a pistola ao máximo. Pratique modos de enchimento mais lentos e poupará mais dinheiro.
  28. Verifique a pressão dos pneus. Mantenha os pneus do carro em bom estado e não se esqueça de encher a roda de socorro ao máximo, respeitando o limite autorizado. Poupança equivalente: de 1 a 5 cêntimos por litro.
  29. Conduza com precaução. Uma condução suave poupa combustível e permite economizar. Poupança equivalente: de 15 cêntimos a 60 cêntimos por litro.
  30. Observe o limite de velocidade. Por cada 8 km/h que conduz acima dos 80 km/h gasta mais 6 cêntimos por litro. Poupança equivalente (reduzindo
    10 a 20 km/h): de 8 cêntimos a 15 cêntimos por litro.
  31. Evite transportar carga no tejadilho. Um grande caixote no tejadilho reduz a economia de combustível. Poupança equivalente: de 3 cêntimos a 26 cêntimos por litro.
  32. Não faça da bagageira uma despensa. Retire objetos desnecessários do seu veículo, especialmente os pesados. Poupança equivalente: 2 cêntimos por litro (por cada 45 kg a mais).
  33. Em “ponto-morto”, o motor está a consumir. O carro engatado, sem estar em aceleração, não consome. Ajuste as descidas e travagens a este princípio.
  34. Outros truques de poupança energética doméstica passam por realizar uma auditoria energética à sua habitação.
  35. Mudar o contrato para o tarifário bi-horário e alterar os seus maiores consumos de eletricidade para o período vazio pode gerar poupança na sua fatura e reduzir as emissões de carbono.
  36. No caso do frigorífico e congelador é preciso: colocar o frigorífico a mais de 10 cm de distância da parede; longe de fontes de calor, como o forno; deixar arrefecer a comida antes que a colocar no frigorífico.
  37. Trocar as janelas de vidro simples, para outras de vidro duplo com corte térmico. Também pode aplicar fitas isoladoras nas portas e janelas.
  38. Investir num sistema de autoconsumo para produção de energia renovável para a sua casa. Desde o final do ano de 2019 pode inclusive ir mais longe e motivar os seus vizinhos a, em conjunto, construírem uma comunidade de energia. Dessa forma, poderá ajudar a otimizar o consumo da produção local proveniente das fontes renováveis e facilitar a instalação de mais sistemas de produção verdes (ao mesmo tempo que poupa na sua fatura de energia).
  39. Fazer o registo no ID-energia – www.idenergia.ptuma ferramenta online que permite monitorizar os seus consumos (eletricidade, gás, água, gasolina e gasóleo) e compará-los com os de outros utilizadores, para que saiba se os seus consumos são ou não eficientes. Esta ferramenta é independente dos comercializadores.
  40. Procurar o melhor tarifário. Através da ERSE ou Deco pode conferir e comparar todas as ofertas para energia e gás natural para sua casa. As simulações são personalizadas pelo que poderá chegar à melhor oferta que responda às suas necessidades.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dia da Energia. 40 dicas para poupar dinheiro e proteger o ambiente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião