Fitch. OPA vai permitir ao CaixaBank cortar custos no BPI

A oferta de aquisição do catalão CaixaBank terá efeitos positivos tanto no BPI como nos restantes bancos nacionais.

Desbloqueada a situação no BPI, o CaixaBank vai finalmente poder tomar conta do banco português, onde deverá impor um plano de racionalização de custos que deverá servir de incentivo para reestruturações nos restantes bancos nacionais, considera a Fitch.

“O levantamento do limite de direitos de voto do CaixaBank no BPI é positivo para os bancos portugueses, porque representa um importante passo para o avanço da oferta pública de aquisição que, se bem-sucedido, irá permitir aos novos donos implementar o plano de racionalização”, diz a agência norte-americana.

Esta evolução é positiva para a restantes banca nacional pois poderá, diz a Fitch, “encorajar os outros bancos a seguirem o exemplo”, explicam os analistas da agência de notação financeira num comunicado divulgado esta terça-feira.

“Esperamos que o CaixaBank implemente o plano de reestruturação anunciado em abril e reduza os custos operacionais em cerca de 13% a partir do terceiro ano de consolidação”, referem.

"Esperamos que o CaixaBank implemente o plano de reestruturação anunciado em abril e reduza os custos operacionais em cerca de 13% a partir do terceiro ano de consolidação.”

Fitch

Pressionados por um ambiente operacional complicado, os bancos portugueses estão a enfrentar dificuldades em aumentar capital e a incapacidade de gerar lucros adequados está a afetar negativamente a qualidade dos ativos, acrescenta a Fitch. Assim, “medidas com vista ao corte de despesas dariam algum alívio aos bancos“, ressalva.

OPA (quase) certa

AFitch acredita que há uma “elevada probabilidade de a OPA [sobre o BPI] se concretizar” e não vê grandes obstáculos à concretização da OPA espanhola da parte do BCE e dos reguladores portugueses e angolanos. E, neste cenário, admite melhorar a notação da dívida do banco liderado por Fernando Ulrich.

“O BPI pode ficar com uma notação até dois níveis abaixo do CaixaBank [atualmente em ‘BBB+’], tendo em conta os constrangimentos do rating soberano”, diz.

O grupo espanhol está a oferecer uma contrapartida de 1,134 euros na OPA sobre o BPI. As ações do banco português seguiam inalteradas nos 1,13 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fitch. OPA vai permitir ao CaixaBank cortar custos no BPI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião