CaixaBank obtém 1,3 mil milhões de euros com venda de ações

Capital angariado servirá para financiar a OPA ao BPI. Ações do banco catalão perdem 3,75%.

O CaixaBank angariou 1,3 mil milhões de euros com a venda do equivalente a 9,9% do seu capital, numa operação que visa financiar a Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o BPI.

Em comunicado enviado à CNMV, o regulador espanhol dos mercados, esta quinta-feira ao final do dia, a instituição financeira catalã informou a venda de um total de 585 milhões de ações próprias a investidores qualificados, através de uma colocação acelerada. As ações foram alienadas a um preço unitário de 2,26 euros, o que permitiu ao CaixaBank angariar um total de 1,322 milhões de euros. A venda da participação foi feita a um desconto por título de 3,67% em relação ao preço de fecho (que tinha sido de 2,422 euros). Os 585 milhões de euros incluem cerca de 380 milhões de euros provenientes da venda de ações colocadas junto de dois investidores institucionais, especifica o banco.

Com o produto da alienação, a instituição espera financiar a compra do banco liderado por Fernando Ulrich, os 55% do capital que ainda não detém e cuja aquisição está avaliada em 900 milhões de euros.

O aumento de capital está em linha com as expectativas“, afirmou Carlos Cobo, analista do Haitong Bank, numa nota enviada a clientes. “Uma vez que o aumento de capital esteja clarificado, os investidores irão focar-se provavelmente em sondar o modelo de negócio do CaixaBank e na comparação das suas contas com as dos pares domésticos espanhóis”, acrescentou o analista da instituição que atribui às ações do banco catalão uma recomendação de “comprar”.

O CaixaBank disponibilizou-se a pagar cerca de 900 milhões de euros para adquirir a parcela de 55% do capital do BPI que ainda não detém. O banco espanhol oferece 1,134 euros por ação, valor que foi revisto após a desblindagem de estatutos do banco português que decorreu esta quarta-feira.

As ações do CaixaBank caem 3,75% para 2,26 euros enquanto as do BPI seguem inalteradas nos 1,13 euros, abaixo do preço proposto pelo banco catalão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CaixaBank obtém 1,3 mil milhões de euros com venda de ações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião