Shimon Peres, Nobel da Paz e um dos fundadores de Israel, morreu aos 93 anos

  • Marta Santos Silva
  • 28 Setembro 2016

"Toda a nação de Israel e a comunidade global partilham esta grande perda", disse o filho do líder histórico que defendeu a paz no Médio Oriente.

Shimon Peres, uma das figuras incontornáveis da história de Israel e vencedor do prémio Nobel da Paz, morreu aos 93 anos num hospital de Telavive. O líder histórico tinha tido um acidente vascular cerebral há duas semanas e estava hospitalizado desde então.

A morte do antigo primeiro-ministro e presidente de Israel foi anunciada esta manhã de quarta-feira pelo seu filho, Chemi Peres, numa conferência de imprensa. “É com imensa pena que nos despedimos do nosso querido pai, o nono presidente de Israel”, disse Chemi Peres, no hospital perto de Telavive onde o pai se encontrava internado. “Fomos privilegiados em fazer parte da família dele, mas hoje sentimos que a nação inteira de Israel e a comunidade global partilham esta grande perda. Partilhamos esta dor”.

O líder histórico foi um dos principais responsáveis pelos acordos de paz de Oslo, em 1993, pelos quais recebeu o Nobel da Paz juntamente com o líder palestiniano Yasser Arafat e o então primeiro-ministro israelita Yitzhak Rabin.

A história da vida de Shimon Peres é indestrinçável da história de Israel. Desde a fundação do estado em 1948 que Shimon Peres é uma figura central — seja nos anos 1950 a ajudar a trazer um reator nuclear para o país e a desenvolver a indústria, seja nos anos 1960 quando foi um dos principais responsáveis pela criação do sistema de defesa de Israel e armazenamento de armas nucleares, seja nas décadas que se seguiram, quando inverteu a sua posição e se tornou um dos maiores defensores da paz no Médio Oriente.

Barack Obama louvou as qualidades de Peres enquanto estadista e considerou-o “a essência de Israel” numa declaração emitida após a morte do antigo presidente se tornar conhecida. “Enquanto americanos, estamos em dívida para com ele porque, tendo trabalhado com todos os presidentes dos Estados Unidos desde John F. Kennedy, ninguém fez mais do que Shimon Peres ao longo de tantos anos para construir a aliança entre os nossos dois países”.

Shimon Peres nasceu na Polónia em 1923 e viveu na Palestina controlada pelos britânicos a partir de 1934. Foi primeiro-ministro três vezes, ministro dos Negócios Estrangeiros três vezes, e presidente de Israel por um mandato de sete anos, até 2014.

Nos últimos anos, Peres tinha criticado frequentemente a orientação do governo de Benjamin Netanyahu, que tem escalado o conflito com os territórios palestinianos, mesmo sem o mencionar diretamente. “Israel deveria implementar a solução de dois estados para o seu próprio bem”, disse Peres no ano passado, em declarações relembradas esta quarta-feira pelo The Guardian. “Se perdermos a nossa maioria, e hoje somos quase iguais, não poderemos permanecer um estado judeu nem um estado democrático”.

Editado por Paulo Moutinho.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Shimon Peres, Nobel da Paz e um dos fundadores de Israel, morreu aos 93 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião