Lisboa: Metro deve chegar à Estrela e a Santos

  • Rita Atalaia
  • 3 Outubro 2016

O metro de Lisboa pode vir a ter duas novas estações: na Estrela e em Santos. A ligação entre a linha que hoje termina no Rato e que acaba no Cais do Sodré é um dos cenários estudados pelo Governo.

O Governo está a estudar a hipótese de ligar a linha de metro que termina hoje no Rato e que acaba no Cais do Sodré e, com isto, criar duas novas estações: na Estrela e em Santos. O presidente da Transportes de Lisboa diz que este foi o cenário “mais trabalhado, mais debatido” com o Ministério do Ambiente.

O jornal Público noticia que Tiago Farias disse que a decisão cabe ao Executivo, mas sinalizou que há uma maior tendência para esta solução. O gestor disse ao jornal que a “ideia que tenho é que esse será o caminho da decisão”. O responsável relembrou também que a orientação do Governo sempre foi no sentido de fazer crescer a rede “para dentro e não para fora”.

Aposta na eficiência ambiental

Para além da expansão da rede de metro, está a ser trabalhada uma candidatura a fundos comunitários para renovar e aumentar a eficiência ambiental na frota da Carris. O jornal adianta que o presidente da empresa disse que esse passo deverá ser dados “em breve”. Com este projeto, pretende-se comprar perto de 250 veículos ao longo de três anos, incluindo elétricos.

Tiago Farias diz ainda que isto deve representar um investimento de 50 milhões de euros e que a primeira viatura elétrica será testada na “segunda quinzena de outubro”.

Quando regressam os bilhetes do metro?

O presidente da Transportes de Lisboa disse que há balcões de atendimento abertos em todas as estações para a venda de bilhetes e que em novembro estará disponível a tecnologia que permitirá ler outro tipo de cartões diferentes dos que são usados pelos clientes. Desta forma, a OTLIS, que fornece os cartões do metro, poderá produzi-los noutras fábricas e evitar quebras de stock.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa: Metro deve chegar à Estrela e a Santos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião