Centeno prepara lei para diminuir o malparado

  • Rita Atalaia
  • 10 Outubro 2016

O ministro das Finanças português diz que o Governo está a preparar leis que podem ajudar os bancos a venderem certos ativos, no âmbito de uma "abordagem abrangente" para resolver o crédito malparado.

Mário Centeno diz que o Governo está a preparar um pacote legislativo que vai ajudar os bancos a venderem certos ativos para resolverem o problema do malparado. A nova legislação permite que as instituições financeiras retirem mais valor da restruturação dos seus empréstimos.

“Estamos a preparar um pacote legislativo que permita aos bancos retirarem mais valor da reestruturação dos seus empréstimos”, disse o ministro das Finanças numa entrevista à Bloomberg.

Estamos a preparar um pacote legislativo que permita aos bancos retirarem mais valor da reestruturação dos seus empréstimos

Mário Centeno, ministro das Finanças de Portugal

Centeno explica que “será mais fácil para os bancos venderem os ativos. O valor desses ativos também vai aumentar porque é mais flexível e fácil fazê-lo”.

Embora Portugal já tenha saído do programa de resgate em 2014, os bancos continuam a lidar com o problema do crédito malparado. Portugal está entre os seis países europeus com um rácio de crédito malparado que supera os 10%, de acordo com o Banco de Portugal.

O ministro diz ainda que estão a trabalhar na tentativa de retirar estes créditos dos balanços dos bancos. “Estamos a trabalhar numa solução com a condição de não envolver ajuda estatal“, refere. “O veículo deve ser detido sobretudo pelos bancos e pelo setor privado”, esclarece Centeno, acrescentando que o Governo vai começar a discutir esta questão com a Comissão Europeia durante o mês de outubro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Centeno prepara lei para diminuir o malparado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião