Empresas britânicas não vão “listar” empregados estrangeiros

  • Ana Luísa Alves
  • 10 Outubro 2016

A decisão tomada vem no seguimento dos protestos dos grupos empresariais britânicos e do partido da oposição ter dito que a proposta inicial era um ato de discriminação. 

O Governo britânico disse esta segunda-feira que não ia forçar as empresas do país a listar o nome dos trabalhadores estrangeiros que estejam a trabalhar nelas.

“Permitam-me que confirme que isto não vai acontecer, não vamos pedir às empresas que listem o número de empregados estrangeiros que têm”, disse o secretário de Estado da Defesa, Michael Fallong, à rádio BBC no domingo.

A ministra do Interior, Amber Rudd, disse na passada terça-feira que, com a saída do Reino Unido da UE, seria mais difícil para as empresas britânicas contratar empregados estrangeiros, devido às novas medidas da política anti-imigração de Theresa May.

A decisão para o “divórcio” da UE tem sido tema nos jornais de todo o mundo desde junho, data do referendo britânico, e segundo Theresa May a decisão para a saída deve-se aos elevados níveis de imigração no país.

Na semana passada, a primeira-ministra confirmou que aumentaria o controlo sobre a imigração, levando o país e a UE a crer que não se viverão tempos fáceis com o Brexit.

Libra em queda

A libra também tem mostrado sinais de que no Reino Unido já se viveram melhores dias: a moeda britânica registou uma queda que a aproxima do valor mais baixo atingido nos últimos 31 anos. Além da libra, a preocupação crescente com o mercado britânico tem deteriorado as hipóteses de que o Reino Unido saiba gerir o divórcio da UE, em março do próximo ano.

Rudd acrescentou na passada quarta-feira que a sua iniciativa para o emprego podia “apagar” as empresas que não estejam a fazer o suficiente para empregar trabalhadores britânicos antes de contratar trabalhadores estrangeiros.

O Partido Trabalhista disse, também na passada quarta-feira, que a ideia defendida por Rudd “ia contra tudo o que o país representava”, cita a Reuters.

A porta-voz do Partido Trabalhista, Diane Abbott, acrescentou que “as teorias anti-imigração são uma distração das politicas falhadas do governo, e vão contra os interesses da sociedade britânica”, cita a Reuters.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Empresas britânicas não vão “listar” empregados estrangeiros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião