Queda da libra protege Reino Unido no Brexit

O vice-governador do Banco de Inglaterra, Ben Broadbent, defende que o tombo da divisa britânica desde o voto ao Brexit protege a economia de choques resultantes da decisão.

A libra tem estado forte derrapagem desde o “sim” à saída do Reino Unido da União no referendo de 23 de junho. Desde aí, a divisa britânica já desvalorizou cerca de 18%, negociando em mínimos de quase 31 anos face ao dólar. Para Ben Broadbent, vice-governador do Banco de Inglaterra (BoE), esta queda à pique pode ajudar a economia britânica a proteger-se de eventuais choques que resultem da decisão.

Quando questionado na rádio da BBC, se o BoE iria intervir caso a libra ficasse muito fraca, Broadbent afirmou que a flexibilidade da taxa de câmbio representa uma importante almofada para a economia. “Tendo uma moeda flexível é algo extremamente importante, sobretudo num ambiente em que a economia está a enfrentar um choque que é distinto face aos nossos pares comerciais”, afirmou esta segunda-feira este responsável do banco central britânico. “Sob a forma do referendo, nós tivemos exatamente um desses choques. Permitir à moeda reagir a isso é um muito importante absorvedor de choques”.

O fraco valor da libra irá também puxar pelos custos de importação e transmitir-se através de uma subida dos preços ao consumidor ao longo dos próximos meses. Broadbent afirmou que a inflação irá provavelmente superar a “em alguma medida” a meta nos próximos anos [objetivo de 2%], mas não se revelou muito preocupado com esse cenário.

A libra conhece esta segunda-feira mais um dia de perdas face ao dólar e ao euro. A divisa britânica recua 0,15% face à divisa norte-americana, para os 1,2173 dólares. Já contra a moeda única a queda é de 0,23%, para os 1,1083 euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Queda da libra protege Reino Unido no Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião