4 livros que os alunos de Harvard – e você – têm de ler

É longa a lista de livros obrigatórios da Havard Business School, mas o ECO escolheu quatro para você ler.

A Harvard Business School é considerada uma das melhores universidades de negócio e economia do Mundo. Uma escola reputada é também uma escola onde a bibliografia é cuidadosamente escolhida para que os alunos leiam os livros mais completos. O ECO dá-lhe sugestões para as suas leituras até ao final do ano, mas pode consultar a lista completa de livros aqui.

1. A Country Is Not A Company

O autor é um Nobel e, a ideia, mais importante do que parece só ao ler o título. Paul Krugman, economista que ganhou o prémio Nobel em 2008, lançou no ano a seguir “A Country Is Not A Company”. No livro, Krugman argumenta que os empresários têm de perceber as diferenças entre as políticas económicas numa escala nacional e internacional e a estratégia de negócio à escala de uma só empresa. O argumento do economista é que a realidade de um Estado é mais do que um sistema fechado. Já a dos empresários é mais aberta e cheia de possibilidades. Este é o livro lido pelos alunos da cadeira Negócio & Relações Governamentais.

Press point following the "Industrial Competitiveness: challenges, opportunities and the role of policy in difficult times" high level conference: Paul Krugman, Professor at the University of Princetown and Nobel Prize winner for Economics
Paul Krugman, economista norte-americano. Créditos: © European Union , 2015 / EC – Audiovisual Service© European Communities , 2009 / EC - Audiovisual Service

2. No One Understands You And What To Do About It

Na economia, um dos ingredientes mais importantes é a psicologia. Sabendo isso, a psicóloga social Heidi Grant Halvorson escreveu um livro em que explica o porquê de muitas vezes a nossa mensagem ser mal compreendida por quem nos ouve ou lê. Em “No One Understands You And What To Do About It”, a autora explica que técnicas podemos usar para resolver esse problema de comunicação. O objetivo do livro é ajudá-lo a evidenciar a sua persona e a atingir autenticidade.

3. The Leadership Code: Five Rules To Lead By

O que faz de um líder bom? A questão já lhe deve ter surgido e é constante na mente dos empresários ou empreendedores de todo o mundo. Os autores Dave Ulrich, Norm Smallwood e Kate Sweetman entrevistaram vários presidentes executivos de empresas, académicos e consultores, para tentar responder a essa questão. O livro é o resultado das respostas dos entrevistados, mas não só: há um foco claro e simples nas necessidades que um líder tem no quotidiano. O objetivo final com “he Leadership Code: Five Rules To Lead By” é chegar ao código que descodifica a boa liderança.

Harvard business school

4. Just Start: Take Action, Embrace Uncertainty, Create The Future

Tal como o título sugere, o livro é sobre empreendedorismo e toda a incerteza que paira sobre um negócio que ainda está a começar. A palavra de ordem é continuar e nunca desistir, referem os autores Leonard A. Schlesinger, Charles F. Kiefer e Paul B. Brown. Num mundo em que não conseguimos planear ou adivinhar o caminho para o sucesso, como é que consegue alcançar os seus objetivos importantes? A pergunta é o mote do livro e o primeiro conselho é simples: comece. O livro assume-se assim como uma espécie de guia para alcançar os seus objetivos, sejam profissionais ou pessoais.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

4 livros que os alunos de Harvard – e você – têm de ler

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião