Portugal é o segundo país que mais fundos recebeu em 2016

Portugal está no top dos países da União Europeia com o nível mais elevado de pagamentos. Os dados são de 30 de setembro. Melhor do que Portugal, só mesmo a Polónia.

À frente só a Polónia. Este ano — dados de 30 de setembro, a que o ECO teve acesso — Portugal já recebeu mais de 600 milhões de euros em pagamentos dos fundos estruturais em 2016.

Portugal está à frente de países com pacotes de fundos estruturais maiores (Itália, Espanha e Roménia) ou de dimensão similar (República Checa, Hungria, Alemanha e França) revelam os dados comparados dos países beneficiários de fundos comunitários.

O nível de pagamentos da Comissão Europeia para Portugal está nos 649 milhões recebidos. Este valor é parte dos cerca de 26 mil milhões de euros que Portugal vai poder usar até 2020 para apoiar o investimento e a coesão do país.

Pagamentos efetuados de Fundos Estruturais em 2016

Fonte: Avaliação de meio percurso do Orçamento da Comissão Europeia
Fonte: Avaliação de meio percurso do Orçamento da Comissão Europeia

Já a Polónia recebeu 933 milhões de euros, mas o seu pacote de fundos para utilizar entre 2014 e 2020 é de 87 mil milhões de euros. Espanha, por exemplo, tem um quadro comunitário de 38 mil milhões de euros e já tem pagamentos no valor de 464 milhões de euros.

Apesar de os números serem positivos, a própria CE, na sua avaliação a meio do atual quadro comunitário, “reconhece as dificuldades que a generalidade dos Estados Membros estão a experimentar no arranque dos programas operacionais”.

Por outro lado, os dados a que o ECO teve acesso revelam ainda que, o Portugal 2020 já pagou, até setembro, 1,73 mil milhões de euros em fundos comunitários, um montante que representa 8,1% do total programado até 2020. Além disso, este valor supera em 81 milhões o valor registado no mês homólogo correspondente do QREN, ou seja, setembro de 2009.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal é o segundo país que mais fundos recebeu em 2016

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião