João Vasconcelos garante que metro, PSP e centro de saúde estão preparados para o Web Summit

  • Ana Luísa Alves
  • 28 Outubro 2016

Esta quarta-feira, o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, visitou algumas das infraestruturas que, garante, estarem prontas para acolher os cerca de 50 mil visitantes nesta edição.

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, disse esta quarta-feira, em visita a alguns locais-chave para o Web Summit, que “está tudo preparado” para o maior evento de tecnologia e empreendedorismo do mundo, que vai ter lugar em Lisboa, no Meo Arena e FIL, entre 7 e 10 de novembro.

João Vasconcelos começou a visita pelo Metro de Lisboa, onde foi recebido pelo presidente da empresa de transportes, Tiago Faria, que explicou que, para esta altura específica, se fará notar uma pequena alteração nas máquinas de venda de bilhetes. “A partir deste momento, todas as máquinas de venda de bilhetes vão aceitar não só os cartões multibanco nacionais, como também os cartões internacionais. Que, em princípio, vão ser os usados pelos visitantes do Web Summit”, explicou o presidente do Metropolitano de Lisboa.

Tiago Faria garantiu também que não vão existir problemas na circulação do metro e que o serviço na linha vermelha, que circula entre as estações Aeroporto e S. Sebastião, vai ser reforçado em termos de frequência e com comboios com seis carruagens durante todo o dia.

“Os comboios vão circular com seis carruagens na linha vermelha, que é a que faz a ligação entre o aeroporto e a estação do Oriente durante mais horas desses dias. E depois também ajustar a rede consoante o tipo de eventos que vão decorrer em complemento ao funcionamento do Web Summit”, explicou Tiago Farias.

Quanto à polémica que se tem feito sentir com os cartões de viagem do metro, o secretário de Estado tranquilizou os ânimos, garantindo que não vão faltar bilhetes em “todas as máquinas de venda associada façam parte da dinâmica associada ao Web Summit”.

img-20161026-wa0002
João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, á conversa com Ana Neri.

Embora este seja o primeiro evento com esta dimensão no nosso país, João Vasconcelos não teme pela segurança dos lisboetas. De visita também à Esquadra da PSP do Parque das Nações, o secretário de estado João Vasconcelos conversou com a Comandante da esquadra, Ana Neri, que sublinhou a total preparação dos agentes destacados durante os dias de evento.

img-20161026-wa0001
João Vasconcelos à porta do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa.

“A Esquadra da Expo vai funcionar como funciona diariamente, mas terá os reforços que vão ser aplicados e distribuídos de acordo com o planeamento feito”, explicou a Comandante. “Esta é a esquadra da área e aquela a que os visitantes deverão dirigir-se, aberta 24 horas por dia”, acrescentou a Comandante.

O terceiro local visitado foi o Comando Metropolitano da PSP de Lisboa. O superintendente Jorge Maurício assegurou, com uma apresentação breve do plano do Comando Metropolitano para os dias do Web Summit, que já têm “experiência neste tipo de eventos com muita gente”. Explicou, mais adiante, que a Unidade Especial de Polícia também estará disponível, mas que isto é uma coisa que já acontece no policiamento feito diariamente.

O último local visitado foi o Centro de Saúde dos Olivais. João Vasconcelos relembrou que este será o primeiro local a receber os visitantes em casos, porque entre a FIL e o Meo Arena vão estar quatro ambulância disponíveis durante os quatro dias do Web Summit.

Nas palavras de João Vasconcelos, embora esteja tudo a postos para as 50 mil pessoas que Lisboa vai receber, esta experiência vai ser um “teste” para as edições do Web Summit dos próximos dois anos, que também se vão realizar em Lisboa.

Texto editado por Mariana de Araújo Barbosa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

João Vasconcelos garante que metro, PSP e centro de saúde estão preparados para o Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião