Uniplaces põe artistas a cantar no chuveiro durante o Web Summit

Parceria entre Uniplaces, Tradiio e EatTasty inaugura o primeiro festival de música de chuveiro. A iniciativa será lançada dia 8, a propósito do Web Summit.

Uma residência de estudantes, algumas divisões desordenadas, quatro artistas, duas casas de banho e muita música. As startups portuguesas Uniplaces, Tradiio e EatTasty preparam-se para lançar a primeira edição do Bathstage Festival, o Bathroom Music Festival de estreia em todo o mundo, que pretende pôr artistas a cantar no chuveiro. A iniciativa é inaugurada a 8 de novembro, a propósito da primeira edição do Web Summit em Lisboa.

As startups convidaram vários artistas portugueses para cantarem debaixo do chuveiro da East Lisbon Residence, no Intendente, a partir das 19h de 8 de novembro, dia em que começam os trabalho no Web Summit.

“O projeto está agora a começar, é uma ideia em que tenho trabalhado bastante, desde o último ano, para se tornar realidade”, explica Carolina Caldeira, criativa portuguesa e fundadora do projeto Bathstage Sessions, que serviu de base a este evento. “Pode este projeto tornar-se numa startup? Talvez. Estamos à procura de patrocínios para ajudar a dar o passo seguinte, mas se o investidor certo surgir, será certamente algo a considerar”, explica, em comunicado.

A organização do primeiro evento inclui ainda o apoio da aceleradora de empresas Beta-i.

De todos os programas oficiais e não oficiais criados no âmbito do Web Summit, acredito que este possa ser um dos mais disruptivos”, acredita Miguel Santo Amaro, co-fundador da Uniplaces. “Esta é uma oportunidade para um conjunto de startups se reunirem e organizarem algo diferente, onde a atual cultura portuguesa possa ser apresentada. É também um momento único para a Uniplaces apresentar o seu produto de uma forma inovadora: é uma forma diferente de ficarem a conhecer como é uma residência exclusiva da Uniplaces”, adianta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uniplaces põe artistas a cantar no chuveiro durante o Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião