Desemprego na Alemanha em mínimos desde a reunificação

Motor da economia da Zona Euro continua a dar sinais positivos. Desemprego caiu para 6%, o nível mais baixo desde a reunificação alemã, em 1990.

Desde a reunificação alemã, em 1990, que o desemprego na Alemanha não estava tão baixo. De acordo com os dados revelados esta quarta-feira pela Agência Federal do Trabalho alemã, a taxa de desemprego caiu em outubro para 6%, um nível que os analistas não estavam à espera. São bons sinais que a maior economia da Zona Euro dá à região.

“O mercado de trabalho evoluiu no sentido positivo em outubro”, referiu Frank-Jürgen Weise, presidente da agência, num comunicado citado pela Bloomberg. “O desemprego caiu de forma acentuada no arranque do outono, o emprego cresceu outra vez e a procura por novos trabalhadores continuou a aumentar“, resumiu aquele responsável.

O número de pessoas sem trabalho caiu em termos ajustados da sazonalidade em 13 mil para os 2,662 milhões em outubro. Os economistas sondados pela Bloomberg não antecipam uma queda tão acentuada, projetando uma redução em apenas 1.000.

"O mercado de trabalho evoluiu no sentido positivo em outubro. O desemprego caiu de forma acentuada no arranque do outono, o emprego cresceu outra vez e a procura por novos trabalhadores continuou a aumentar.”

Frank-Jürgen Weise

Agência Federal do Trabalho

Além do mercado laboral, outros indicadores como os da produção manufatureira e confiança dos negócios sugerem que o motor do Euro está prestes a arrancar no último trimestre do ano, depois de alguma incerteza com o voto do Reino Unido no sentido de abandonar a União Europeia e do abrandamento da procura global ter arrefecido a economia no terceiro trimestre.

“Estes números tendem a ser muito voláteis, mas a tendência é importante. Mostram que o desemprego está a cair de forma sólida enquanto o emprego cresce, o que é um desenvolvimento favorável para a procura doméstica e para o ciclo económico alemão”, comentava o economista Jens Kramer, do Nord Lb, à Bloomberg.

Na região ocidental da Alemanha, o número de desempregados caiu em 6.000, enquanto na região oriental a queda observada situou-se nos cerca de 8.000.

Segundo o Bundesbank, a tendência económica no país foi positiva no mês passado. O banco central alemão sinalizou o aumento das exportações e da confiança dos empresários como fatores que vão impulsionar a atividade económica nos próximos meses.

A produção da indústria transformadora alemã cresceu ao ritmo mais elevado em três anos no passado mês, segundo os dados da IHS Markit revelados esta quarta-feira, com as empresas a contratarem mais pessoal, numa resposta ao aumento da procura sobretudo da parte dos EUA e da Ásia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Desemprego na Alemanha em mínimos desde a reunificação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião