Ramalho: Novo Banco está a bater recordes

O presidente executivo agradece o empenho dos colaboradores no processo que vai levar à venda da instituição. Salienta a existência de cinco propostas.

António Ramalho escreveu aos colaboradores a agradecer os esforço que têm feito durante o processo de venda da instituição. Salienta, numa carta obtida pelo ECO, que foram batidos recordes no último mês. E agora, há cinco propostas em cima da mesa que levarão a “mais uma etapa na vida do Novo Banco”.

“Nos últimos meses o Novo Banco foi chamado a colaborar ativamente no processo de alienação do capital e de estimulo à escolha de um novo acionista“, recorda. Foram feitas quase duas mil apresentações e realizadas mais de uma centena de reuniões, além de várias conferencias telefónicas.

Ramalho diz que “este esforço das nossas equipas merece uma nota de reconhecimento”. Esse reconhecimento “é tanto mais devido quanto coincidiu com um período de maior exigência na rede de retalho e de empresas, que aliás se refletiu nos vários recordes de produção mensal obtidos no ultimo mês“.

Todo este esforço permitiu ao Novo Banco receber cinco propostas de aquisição que serão agora avaliadas pelo Banco de Portugal. António Ramalho diz com estas propostas em cima da mesa, “encerra-se uma importante etapa na vida do nosso banco”.

“Inicia-se um novo período na escolha de uma solução acionista estável que permitirá ao banco retomar o lugar a que aspira e merece no sistema financeiro português”, nota, rematando que conta com os colaboradores “para mais esta etapa na vida do Novo Banco“.

(Notícia atualizada com mais detalhes da carta de António Ramalho)

 

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ramalho: Novo Banco está a bater recordes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião