Ikea a contratar. Há 250 vagas para preencher até ao final do mês

A marca sueca de mobiliário tem 250 vagas de trabalho a tempo inteiro e parcial por preencher até ao final de novembro. O destino é a nova loja de Loulé, que abrirá já no próximo ano.

“Estudantes, pessoas com disponibilidade de horário, à procura de um emprego a tempo inteiro ou parcial.” É este o alvo da campanha de recrutamento da Ikea que, até ao final deste mês, quer preencher os 250 postos de trabalho previstos para integrar a nova unidade de Loulé, a primeira loja da empresa sueca no Algarve.

Em cima da mesa estão áreas como a do apoio ao cliente, vendas e restauração, bem como operadores de caixa e de armazém. A loja de Loulé encontra-se atualmente em construção e dentro do tempo previsto, indicou ao ECO fonte da empresa. A abertura do estabelecimento está prevista para a primavera do próximo ano.

Os dois pisos da loja de Loulé terão uma área total de 24 mil metros quadrados, naquilo a que empresa chama de um “novo conceito” com “integração com espaços de centro comercial e outlet“.

Recorde-se que a empresa tem um plano para a abertura de dez novas lojas no país até ao final da década, num total de três mil novos empregos. Sabe-se que o investimento previsto até 2020 é de 1,1 mil milhões de euros, sendo que mais de metade do montante já terá sido aplicado.

As candidaturas para a loja Ikea Loulé podem ser submetidas aqui. Há ainda uma página de divulgação do programa de recruta, que pode ser consultada nesta ligação.

"Estamos a falar diretamente às pessoas no Algarve, a conhecê-las ainda melhor para, em conjunto, termos uma equipa IKEA ainda com mais talento, motivação, orientação para o cliente e sempre empenhados em fazer melhor.”

Pedro Barroso

Responsável de recrutamento da Ikea Loulé

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ikea a contratar. Há 250 vagas para preencher até ao final do mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião