Isabel dos Santos explica-se: “O meu currículo fala por mim”

  • ECO
  • 9 Novembro 2016

Isabel dos Santos responde aos críticos que põem em causa a sua nomeação para a Sonangol. E diz: "o meu currículo fala por mim".

Isabel dos Santos quebrou o silêncio de meses após a nomeação para presidente da Sonangol para responder aos que recorreram à justiça angolana para impugnar a sua entrada na petrolífera. “O meu currículo fala por mim”.

A empresária angolana e filha do presidente José Eduardo dos Santos é presidente da Sonangol desde o dia 2 de junho, depois de ter liderado uma equipa que esteve a estudar a reestruturação da petrolífera.

Agora, afirma que a contestação à sua nomeação “prende-se, na sua essência, com um esquema de intrigas políticas num período pré-eleitoral”. E acrescenta: “A minha prioridade é concentrar-me no desafio que representa a reestruturação da Sonangol e na sua continuidade enquanto empresa líder e pilar estratégico da economia angolana”.

Neste contexto, Isabel dos Santos recorda o seu currículo. “Questionar a minha competência profissional para o exercício do cargo de presidente do Conselho de Administração da Sonangol não tem qualquer fundamento. O meu currículo fala por si. Sou licenciada em Engenharia Eletrotécnica pela Universidade de Londres e conto mais de vinte anos de experiência profissional. Antes da minha nomeação, ocupei cargos de gestão de topo em empresas cujo universo engloba milhares de colaboradores; exerci cargos de administração em empresas de telecomunicações, instituições financeiras e empresas cotadas na bolsa europeia”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Isabel dos Santos explica-se: “O meu currículo fala por mim”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião