CGD: “A culpa é do Governo”, diz Rui Rio

  • ECO
  • 10 Novembro 2016

Para Rui Rio, António Domingues não quer esconder a declaração de rendimentos. A responsabilidade desta situação está "do lado de quem se comprometeu com o que não podia", diz o ex-autarca.

Rui Rio acredita que a culpa da polémica em torno da Caixa Geral de Depósitos (CGD) é do Governo. O antigo autarca defende que a responsabilidade está do lado de quem se comprometeu com o que não podia fazer. Rui Rio deixa ainda em aberto a possibilidade de vir a substituir Passos Coelho na liderança do PSD.

“Se a lei efetivamente não o permite, é óbvio que a responsabilidade está do lado do Governo. Do lado de quem se comprometeu com o que não podia”, diz Rui Rio numa entrevista ao DN, referindo-se à polémica relacionada com a entrega das declarações de rendimento e património dos novos gestores da CGD. António Domingues apenas aceitou o cargo depois de Mário Centeno ter garantido que não teria de revelar a declaração.

“Tanto quanto percebo, ele [António Domingues] não quer esconder a declaração, até porque já a entregou a outras entidades legais”, acrescenta o antigo autarca. Rui Rio acredita que o presidente do banco apenas não quer ver a sua declaração a “passear pelas páginas da comunicação social para alimentar a venda de jornais”.

Apesar de pensar que o salário de António Domingues é elevado para Portugal, Rui Rio diz que entende que o novo responsável pela CGD o exija, já que vai assumir uma função de grande responsabilidade.

Rui Rio quer ser a alternativa a Passos Coelho

Questionado se em 2018 vai surgir uma alternativa de liderança no PSD, Rui Rio diz ao jornal que é provável que isso aconteça. “Se, até lá, o partido não conseguir descolar — como se costuma dizer –, acho que sim”, esclarece. E essa alternativa poderá ser Rui Rio.

O possível candidato ao lugar de presidente do PSD nega que já esteja a preparar uma candidatura, como tem sido dito. “Foram as tradicionais fontes anónimas ou próximas” que o disseram, explica Rui Rio. “Especular que eu estaria — a mais de um ano de distância — a preparar uma candidatura é tentar que as pessoas fiquem desiludidas comigo.”

Mais impostos em 2016 e 2017

“No conjunto de 2016 e 2017 há mais impostos”, defende Rui Rio, falando também sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano. O antigo autarca diz que não acredita que os impostos diretos são socialmente mais justos do que os indiretos. “Isso é verdade até certo ponto, mas por diversas razões não se pode levar esse raciocínio até ao infinito”, explica.

Rui Rio também pensa que o OE2017 não está orientado para o que é realmente importante: a economia. “Portugal tem de promover o crescimento económico, caso contrário a sua dívida é realmente insustentável”. E o OE deveria estar virado para esse objetivo. “E infelizmente, não está”, realça.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CGD: “A culpa é do Governo”, diz Rui Rio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião