Direto Marcelo: “Todos nos lembramos da profecia de que havia recursos ilimitados”

No 13º Encontro Nacional de Inovação falou-se de sustentabilidade e de como acelerar a transição para uma economia circular. O ECO acompanhou em direto.

Estima-se que, em 2050, a população mundial alcance os 10 mil milhões. Mas, numa altura em que se consomem mais recursos naturais do que aqueles que o planeta oferece, torna-se urgente romper paradigmas. Um desses modelos é o da economia linear, em que os recursos não são reaproveitados. Ora, esse modelo não é sustentável, defende uma corrente que tenta acelerar e incentivar, junto de todos os decisores, uma rápida transição para a chamada economia circular.

Uma economia circular é a que otimiza o valor dos produtos, componentes e materiais à disposição. Ou seja, é um modelo de desenvolvimento económico mais sustentável, pelo qual os recursos são reaproveitados ao limite, de forma a evitar desperdícios e obsolescências desnecessárias. É esta a corrente de pensamento que motiva o 13º Encontro Nacional de Inovação da Associação Empresarial para a Inovação (COTEC), que decorre esta terça-feira no Convento do Beato, em Lisboa.

O ECO estará a acompanhar, em direto, todas as intervenções e os três painéis de discussão, com início às 9h15 e hora prevista de conclusão às 13h30. Entre os participantes estão Ellen MacArthur, cabeça da fundação homónima, uma entidade que visa acelerar a passagem para uma economia circular; Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República; e diversos agentes políticos e empresariais, essenciais para o alavancar desta nova estratégia. Abaixo, acompanhe os momentos principais. O programa completo pode ser consultado no site oficial do encontro.

O liveblog só está visível na versão web do jornal, em eco.pt.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo: “Todos nos lembramos da profecia de que havia recursos ilimitados”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião