Angola: José Eduardo dos Santos vai mesmo sair

Os níveis de popularidade são os mais baixos de sempre e, por isso, uma situação semelhante à de 2002 onde José Eduardo dos Santos voltou atrás na sua palavra não deverá acontecer.

Pela primeira vez, José Eduardo dos Santos registou num documento escrito o nome do seu sucessor: chama-se João Lourenço, é o atual ministro da Defesa e um ex-comissário político das FAPLA, o antigo exército do MPLA. Apesar de não ser a primeira vez que o Presidente de Angola garante que não vai ser candidato, avança o Expresso, a existência de um documento aumenta a pressão no chefe de Estado Angolano.

As eleições do próximo ano não vão contar com José Eduardo dos Santos, quase quarenta anos depois de ter substituído Agostinho Neto como Presidente da Angola. O atual líder angolano reafirmou esta quarta-feira a vontade de deixar a presidência até ao final do próximo ano.

 

Esta sexta-feira há uma reunião do comité central do MPLA onde a questão será abordada. Ao Expresso, um antigo deputado do MPLA, Jacques dos Santos, afirma que o afastamento do Presidente, “desgastado como está”, é “a melhor decisão”. Os níveis de popularidade são os mais baixos de sempre e, por isso, uma situação semelhante à de 2002 onde José Eduardo dos Santos voltou atrás na sua palavra não deverá acontecer.

À contestação da população e ao aperto internacional, a saúde do próprio Presidente de Angola está débil. “Estou doente, já tenho o meu candidato e agora vocês que apresentem outros candidatos”, disse Eduardo dos Santos.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Angola: José Eduardo dos Santos vai mesmo sair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião