Time Out Market chega a Nova Iorque e Londres até 2018

Conceito pensado e criado em Portugal chega a paragens internacionais dentro de menos de dois anos. Nova Iorque, Miami e Londres serão os primeiros destinos depois de Lisboa e Porto.

Se tivesse código de barras, os primeiros números do produto Time Out Market seriam 560. Sim, o conceito é português e vai, em breve, contribuir para as exportações nacionais. É que a empresa — que é dona da marca Time Out, a revista internacional de lifestyle presente, em Portugal, em Lisboa e no Porto — prepara-se para internacionalizar o conceito lançado em Lisboa em 2014.

O primeiro Time Out Market foi implementado na capital portuguesa há dois anos e já contabiliza, anualmente, 3 milhões de visitas. O segredo? De acordo com Ana Alcobia, diretora-geral do Time Out Market, é uma questão de empatia. “Pensámos primeiro

Sob o conceito “se é bom vem na revista, se é ótimo vai para o mercado”, o Time Out Market do Mercado da Ribeira, é o primeiro de um conjunto de mercados de cidade. O próximo será no Porto: a inauguração deverá decorrer no próximo ano. O sucesso foi tal que a Time Out Internacional comprou a marca e quer internacionalizá-la já em 2018. Depois do mercado do Porto, que deverá abrir já no próximo ano, os planos passam por inaugurar Time Out Markets em Londres, Nova Iorque e Miami, adiantou Ana Alcobia no Tourism Day, em Lisboa, evento organizado pela Beta-i e pelo Turismo de Portugal e no qual foi keynote speaker.

“A internacionalização passa por implementar o conceito sob a mesma lógica do caso de Lisboa: a redação local escolhe os melhores restaurantes e projetos e convida-os a integrar a lista de negócios presentes para construir um mercado local com curadoria“, acrescentou Ana Alcobia sobre o conceito.

De estrelas Michelin aos maiores segredos da cidade, a experiência do Mercado Time Out é “atrair os locais para atrair os turistas”. A estratégia tem resultado em números inesperados, até para os fundadores do conceito: dos quase três milhões de visitantes este ano, 70% são turistas.

Além do espaço de restauração, que inclui 23 mini-restaurantes, o Time Out Market tem também a Time Out Academy — um espaço que alia o conhecimento à aprendizagem com ‘professores’ — e ainda o Estúdio, uma sala de espetáculos onde são organizados concertos, espetáculos e exposições considerados relevantes pela equipa da revista.

O mercado, inaugurado em 2014, foi assim o resultado da experiência agregada pela revista, que foi lançada cinco anos antes. Criado num edifício construído em 1882, o espaço alia a tradição à modernidade e conta com 32.000 metros quadrados de espaço.

O espaço conta com 800 lugares sentados, uma sala de espetáculos para 900 pessoas e ainda 12 bares e lojas. A média que cada visitante passa no espaço é de 90 minutos, segundo dados do Time Out Market. Por semana, passam pelo mercado entre 45 e 70 mil pessoas. Este ano, o número de visitantes aproximar-se-á dos três milhões de pessoas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Time Out Market chega a Nova Iorque e Londres até 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião