Novos créditos da casa em mínimos de seis meses

Em outubro, foram concedidos 456 milhões de euros em novos empréstimos para a compra de casa. Apesar do travão nesse mês, os níveis de concessão mantêm-se acima dos registados em 2015.

Em outubro, registou-se um travão na concessão de crédito para a compra de casa. Dados divulgados esta manhã pelo Banco de Portugal mostram que a nova concessão empréstimos com essa finalidade recuou para mínimos de seis meses, em outubro.

Nesse mês, os bancos portugueses concederam um total de 456 milhões de euros, em novos empréstimos para a compra de casa. Este montante representa um decréscimo de 56 milhões face os níveis de concessão registados no mês anterior: 512 milhões de euros. Seria necessário recuar até abril deste ano para encontrar um nível de concessão de créditos à habitação mais baixo.

Apesar do travão registado em outubro, os níveis de concessão de empréstimos destinados à aquisição de casa mantêm-se bastante acima do verificado nos últimos anos. No mesmo mês do ano passado, as instituições financeiras tinham emprestado 368 milhões de euros com essa finalidade.

No acumulado do ano, os números são reveladores do grau de crescimento da nova concessão de crédito à habitação. Nos 10 primeiros meses do ano, foram concedidos 4.629 milhões de euros em empréstimos com essa finalidade. Mais 48% face aos 3.131 milhões de euros concedidos em igual período do ano passado. 2016 é já o ano em que os concederam mais empréstimos para a compra de casa desde 2010.

A quebra dos montantes de crédito para a compra de casa registada em outubro, foi acompanhada pelas restantes finalidades de empréstimos concedidos aos particulares. Os novos empréstimos ao consumo recuaram nesse mês cinco milhões de euros, para 328 milhões. Em setembro, tinham sido concedidos 328 milhões de euros. No acumulado do ano, o novo crédito ao consumo subiu 21,4%, ascendendo a 3.104 milhões de euros. No crédito para outros fins registou-se, em outubro, aumento da concessão que se situou nos 138 milhões de euros.

Já entre as empresas foi registado um aumento dos montantes da nova concessão. Em outubro, o setor empresarial contratou 2.434 milhões de euros em empréstimos junto dos bancos, acima dos 2.356 milhões registados em setembro.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Novos créditos da casa em mínimos de seis meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião