? A figura política nacional de 2016 segundo os líderes parlamentares

  • , Raquel Sá Martins, Marta Santos Silva e Telmo Fonseca
  • 27 Dezembro 2016

O líder parlamentar do PCP inicialmente, sem perceber que a personalidade teria de ser da política, elegeu uma personalidade coletiva diferente: a seleção nacional portuguesa pela vitória do Euro 2016. De certeza que a maioria dos portugueses concordaria, mas a avaliar pelos índices de popularidade do Presidente da República, o povo português (personalidade coletiva que João Oliveira acabou por escolher) chegaria também a um outro acordo: Marcelo Rebelo de Sousa foi a personalidade política de 2016.

É essa a eleição de três dos sete líderes parlamentares que o ECO entrevistou, sendo que mais nenhuma personalidade reuniu mais do que um “voto”. O Marcelo, que resolve conflitos com selfies, ou faz negociações com membros do Governo e teatros à frente das televisões, aquele que marca a agenda mediática diariamente, venceu as eleições presidenciais no início deste ano com mais de 50% dos votos e a sua popularidade ainda não foi beliscada.

O ano ficou ainda marcado por dois eventos internacionais: a prisão do luso-angolano Luaty Beirão e a vitória de António Guterres para secretário-geral da Organização das Nações Unidas, duas das escolhas dos líderes parlamentares. A terminar, a própria Assembleia da República, num ano que consolida uma situação inédita na democracia portuguesa em que o partido mais votado não tem maioria no Parlamento.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

? A figura política nacional de 2016 segundo os líderes parlamentares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião