Estado investe 500 mil euros em Serralves por ano até 2018

O Governo decidiu apoiar com 1,5 milhões de euros a Fundação Serralves entre 2016 e 2018. O objetivo é que o dinheiro seja utilizado para a aquisição de mais obras de arte.

O Estado, através do Fundo de Fomento Cultural, vai apoiar a Fundação Serralves com 500 mil euros em cada ano de 2016, 2017 e 2018. Ao todo, nos três anos, são 1,5 milhões de euros de financiamento para a aquisição de obras de arte para a Coleção do Museu de Arte Contemporânea. O valor consta de um protocolo celebrado em dezembro, lê-se no diploma publicado esta segunda-feira em Diário da República.

“Considerando que a atividade desenvolvida no Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves já alcançou uma importante projeção internacional e que a relevância da coleção do Museu implica a sua permanente atualização através de novas aquisições e da sua apresentação pública, através da realização de exposições regulares, de programas de itinerância e do empréstimo de algumas das suas obras para exposições realizadas noutros museus, nacionais e estrangeiros”, justifica a portaria. O ano passado foi exemplo disso com a passagem da coleção Miró para Serralves.

Este financiamento — o Fundo para aquisição de obras de arte para a Coleção do Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves — consta de um protocolo celebrado a 6 de dezembro do ano passado entre o Ministro da Cultura e a Fundação de Serralves relativo que tem efeitos logo para o ano de 2016 e prolonga-se até 2018, completando o triénio.

“O montante fixado para cada ano económico pode ser acrescido do saldo apurado no ano anterior”, ressalva o documento.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estado investe 500 mil euros em Serralves por ano até 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião