Autarquias têm mais tempo para reforçarem fundos comunitários

O Governo decidiu prolongar até 15 de fevereiro o prazo para as câmaras municipais entregarem os pedidos de pagamento dos fundos comunitários, garantindo na mesma o incentivo adicional de 10%.

Uma das medidas que o Executivo tinha adotado para acelerar a utilização de fundos comunitários era beneficiar os promotores com 10% adicionais ao total de fundos ao seu dispor. Mas para isso era necessário executar os investimentos em 2016. “A data limite para acesso a esse acréscimo de fundos era 31 de dezembro de 2016, tendo sido agora prolongada até 15 de fevereiro de 2017″, refere um comunicado do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

O ministro Pedro Marques apresentou esta proposta à Comissão Interministerial de Coordenação dos Acordos de Parceria (Portugal 2020), e a Associação Nacional de Municípios Portugueses, dirigida pelo socialista Manuel Machado, concordou. Esta é uma forma de continuar a beneficiar as câmaras, em ano de autárquicas, e tentar acelerar a execução dos fundos estruturais.

No mesmo comunicado, o ministério explica que “através de um mecanismo designado por Acelerador de Investimento Municipal, os municípios que executem, pelo menos, 15% de um dos projetos dos Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano (PEDU) ou dos Planos de Ação de Regeneração Urbana (PARU) vêm majorado em 10% o total das verbas disponibilizadas através desses fundos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autarquias têm mais tempo para reforçarem fundos comunitários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião