É oficial: subvenção dos partidos é reduzida definitivamente

As finanças públicas vão, de forma definitiva, contar com um alívio nas subvenções dadas aos partidos políticos. A alteração à lei foi publicada esta segunda-feira em Diário da República.

Já está: as subvenções dos partidos políticos foram reduzidas de forma definitiva, após o corte temporário decidido pelo anterior Governo. Foi também a proposta do PSD para a redução de forma definitiva que foi aprovada na Assembleia da República em dezembro. A alteração à lei decidida pelos deputados foi publicada esta segunda-feira em Diário da República.

O Parlamento converteu em definitivas as reduções nas subvenções públicas para o financiamento dos partidos políticos e para as campanhas eleitorais. Em causa está um corte definitivo de 10% do montante destinado diretamente aos partidos e de 20% do montante destinado aos momentos eleitorais, cujos limites de despesa também sofrem uma redução de 20%.

Esta alteração foi aprovada na Assembleia da República a 16 de dezembro na Comissão de Assuntos Constitucionais. O deputado do PAN e o deputado socialista Ascenso Simões foram os únicos a abster-se. Foi, por isso, um momento quase inédito de união entre PSD, PS, CDS-PP, BE e PCP que fez aprovar esta diminuição.

Inicialmente, os cortes introduzidos por José Sócrates e prolongados por Pedro Passos Coelho eram transitórios, sendo que terminavam a 31 de janeiro. Com este novo diploma, tornam-se definitivos. A lei entrou em vigor a 1 de janeiro de 2017.

Editado por Paulo Moutinho

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

É oficial: subvenção dos partidos é reduzida definitivamente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião