Governo vai reativar linha de crédito para estudantes do ensino superior

  • ECO
  • 19 Janeiro 2017

O Governo está a finalizar um acordo para reativar a linha de crédito de apoio a estudantes do ensino superior, alocando 80 milhões de euros para o efeito até 2020. Estado será o fiador.

O Governo está a preparar-se para reativar a linha de crédito para estudantes do ensino superior, avançou o Jornal de Notícias (acesso pago). Segundo o Público (acesso condicionado), há 80 milhões de euros disponíveis para emprestar a estudantes até 2020, que podem usar o dinheiro para financiar cursos. A linha de crédito tinha sido criada em 2007 e já foi usada por 21.500 estudantes, mas tem estado suspensa.

De acordo com o mesmo jornal, o acordo entre o Estado e a Sociedade Portuguesa e Garantia Mútua está prestes a ser finalizado. Além disso, é o Estado que dá garantia aos empréstimos, com a medida já prevista e inscrita no Orçamento para este ano. As regras ainda ainda não estão definidas, mas deverão ser reveladas até ao final deste mês.

Esta linha de crédito, explica o Público, é de aprovação quase imediata e caracteriza-se por ter juros e spreads reduzidos. O facto de o Estado ser fiador permite que não existam garantias patrimoniais por parte dos alunos. A maioria do reforço, indica o JN, é assegurado por fundos comunitários.

Mas o total de crédito por pagar ascende já a 142 milhões de euros, escreve o jornal. São, ainda assim, menos 60 milhões de euros do que há três anos e, como existe um período de carência de um ano após o fim do curso, nem todo esse dinheiro pode ser considerado em dívida.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai reativar linha de crédito para estudantes do ensino superior

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião