Startup Lisboa junta-se à Central de Cervejas para criar nova incubadora

No dia em que incubadora assinala o 5º aniversário anuncia que vai ter novo polo dedicado à área de comida e bebida (F&B).

O Chiado vai ser palco de uma contaminação empreendedora que começou na rua da Prata, faz esta quinta-feira cinco anos. A Startup Lisboa e a Central de Cervejas assinaram esta tarde um protocolo de parceria para criar um polo de incubação de startups da área de Food & Beverage (F&B), comida e bebida, perto da Cervejaria Trindade.

Trata-se do quarto edifício, depois dos dois na rua da Prata (nº 80 e 81) e do do Marquês de Pombal, e vai contar com um espaço de 500 metros quadrados que serão inaugurados ainda durante o ano de 2017. No mesmo espaço, adiantaram os responsáveis, vai ainda funcionar um espaço polivalente, tendo recebido, entre outros, a Semana Anual dos Criativos e a exposição “Cidade Gráfica. Letreiros e reclames de Lisboa no século XX”.

“É um projeto fundamental para crescer ao nível da competitividade em Lisboa. É um edifício em pleno Chiado que é cheio de história e foi, no passado, uma das primeiras cervejeiras em Portugal e vai ser um centro cheio de atratividade para os negócios de comida e bebida”, explicou François-Xavier Mahot, presidente da sociedade Central de Cervejas.

Em entrevista ao ECO a propósito dos cinco anos da incubadora, o diretor Miguel Fontes disse que a Startup Lisboa estava à procura de oportunidades noutras áreas de negócio para adicionar ao portefólio da incubadora.

“Uma das grandes funções do presidente da câmara da cidade é aproveitar as energias da cidade. (…) Trata-se de dar força a quem tenta e não só a quem vence”, explicou esta tarde Fernando Medina, na Startup Lisboa. Para João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, “é uma prova de vitalidade a incubadora”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup Lisboa junta-se à Central de Cervejas para criar nova incubadora

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião