Processo de Salgado em segredo de justiça até 2018

  • ECO
  • 3 Fevereiro 2017

O juiz Carlos Alexandre diz que a investigação é complexa e que a equipa precisa de mais tempo. Por isso, o processo vai ficar em segredo de justiça durante mais um ano e oito meses.

O juiz Carlos Alexandre decidiu que o processo que está a investigar Ricardo Salgado e a insolvência do Banco Espírito Santo (BE) vai ficar em segredo de justiça até setembro de 2018. Porquê? O juiz justifica a decisão com a complexidade do caso.

A Sic Notícias avança que a equipa que está à frente do processo em que Ricardo Salgado está envolvido e que está a investigar a queda do BES diz que precisa de mais tempo. Por isso, o processo vai ficar em segredo de justiça durante mais um ano e oito meses. A equipa conta com a colaboração das entidades suíças e luxemburguesas e é coordenada pelo Eurojus.

Mas porquê? O juiz Carlos Alexandre refere a especial complexidade deste processo, no qual Ricardo Salgado foi constituído arguido e que investiga a queda do banco no verão de 2014.

O antigo presidente do BES também foi constituído arguido na Operação Marquês, o caso de corrupção que envolve o antigo primeiro-ministro José Sócrates. O juiz Carlos Alexandre proibiu Salgado de sair do país sem autorização, além de não poder contactar com os restantes arguidos da Operação Marquês e com algumas pessoas com ligações ao Grupo Espírito Santo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Processo de Salgado em segredo de justiça até 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião